Google e Facebook são acusadas de violar GDPR no 1º dia da lei em vigor

Da Redação
25/05/2018 - 18h50
Para ONG, empresas violam a lei de proteção de dados, pois não dão outra alternativa aos usuários a não ser consentir com suas políticas

Mal a nova lei de proteção geral de dados da União Europeia (GDPR, na sigla em inglês) entrou em vigor e grandes empresas de tecnologia já são acusadas de descumprir as regras. E estamos falando aqui do Google e Facebook que, segundo a organização com o sugestivo nome "Não é da Sua Conta" (None of Your Business, NOYB, na sigla em inglês), desrespeitam as novas normas de privacidade. 

A ONG informou que entrou com ações junto às autoridades reguladoras de proteção de dados de quatro países - Áustria, França, Alemanha e Bélgica - contra o Google e Facebook. As informações são da BBC.

A NOYB argumenta que a nova lei proíbe a oferta de serviços em troca do consentimento para usar dados, algo que em sua visão é desrespeitado pelas empresas citadas. Para a entidade, as plataformas forçam o consentimento de seus usuários, uma vez que não dá outra alternativa para utilizar seus serviços a não ser concordar com a política dos mesmos. 

“O GDPR deveria dar aos usuários a livre escolha para concordarem com o uso de seus dados ou não. O sentimento oposto é o que tem se espalhado nas telas de muitos usuários: toneladas de caixas de consentimento pipocam online ou em aplicações, frequentemente combinadas com ameaças de que o serviço não poderá ser usado caso as pessoas não consentirem”, afirma a ONG.

Caso as entidades reguladoras europeias entendam que as companhias em questão violem o GDPR, elas podem aplicar multas de até 4% da receita global das companhias.

LEIA MAIS

> GDPR: um guia essencial para você ficar por dentro da nova lei de proteção de dados