Donald Trump não poderá mais bloquear seguidores no Twitter

Da Redação
24 de maio de 2018 - 11h37
Tribunal nos EUA decretou que comportamento do presidente é inconstitucional; Em março, sete cidadãos americanos processaram Trump após terem sido bloqueados

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, costumava bloquear no Twitter aqueles que o criticavam. Mas a partir de agora, ele não poderá mais silenciar aqueles que o incomodam. A juíza federal Naomi Reice Buchwald considerou que tais bloqueios são ilegais e violam a Primeira Emenda da Constituição dos EUA.

Em março deste ano, sete cidadãos americanos entraram com processo contra Trump, depois do presidente bloquear os mesmos. O Instituto Knight da Universidade de Columbia, especializado em defesa da liberdade de expressão, foi até a justiça para representá-los. A questão que eles levantavam era que - ao bloquear críticos de sua política - comentários e menções a Trump na rede social acabaram se tornando mais positivos.

Representantes de Trump, no entanto, vinham defendendo que os bloqueios diziam respeito a sua conta pessoal, portanto não configurariam como um fórum público. A juíza Buchwald, certamente, não se convenceu.

"Consideramos que partes da conta @realDonaldTrump - o espaço interativo onde usuários do Twitter podem interagir diretamente com o conteúdo dos tuítes do presidente - são propriamente analisados segundo as doutrinas de “fórum público” estabelecidas pelo Supremo Tribunal", diz a sentença. "Bloquear o acesso dos críticos só por base no seu discurso político constitui uma discriminação que viola a Primeira Emenda", completa o documento. 

Não se sabe quantos usuários Trump realmente bloqueou no Twitter. Atualmente, o presidente conta com 52,2 milhões de seguidores.