YouTube atinge marca de 1,8 bilhão de usuários mensais

Da Redação
04/05/2018 - 16h42
Plataforma agora só está atrás do Facebook em volume de usuários que buscam o serviço pelo menos uma vez ao mês; CEO também anunciou nova leva de produções originais

O YouTube atingiu a marca de 1,8 bilhão de usuários ativos mensalmente. Com esse número, a plataforma de vídeos do Google só fica atrás agora do Facebook que, recentemente, anunciou ter 2,2 bilhões de usuários que usam a rede social todo mês.

A CEO do YouTube, Susan Wojcicki, fez um balanço da divisão durante o evento BrandCast do YouTube realizado nessa quinta-feira (04) e que reuniu criadores de conteúdo e anunciantes. Segundo a executiva, o número reflete apenas os usuários que acessam o YouTube enquanto estão logados em sua conta do Google.

A popularidade da plataforma também é vista na quantidade de horas que os usuários dedicam a assistir vídeos - são mais de 150 milhões de horas por dia. E detalhe, segundo Susan, tal audiência diz respeito a apenas os usuários que consomem vídeos pela TV. No final do dia, esse número é ainda maior tendo em vista as outras telas que temos ao nosso alcance - smartphone, tablets, notebooks e PCs. 

O Google também tem concentrado esforços e investimentos para produzir conteúdo original dentro do seu serviço. Durante o evento, Susan anunciou uma nova leva de parceiros que integrarão produções originais. O ator Will Smith, a atriz Priyanka Chopra, a cantora Demi Lovato e o comediante Jack Whitehall foram citados. Os programas do comediante Kevin Hart e o The Super Slow Show do The Slow Mo Guys também devem ser renovados pelo YouTube.

Apesar da base crescente de usuários e de criadores de conteúdo que buscam na plataforma um lugar para se tornarem influenciadores, o YouTube tem sido alvo de críticas desde que anunciou mudanças na política de monetização de seus parceiros. Para monetizá-los, a plataforma passou a exigir que seus colaboradores tivessem, pelo menos, mil inscritos e mais de 4 mil horas assistidas nos últimos 12 meses. 

Em abril deste ano, uma youtuber e ativista pelos direitos dos animais, invadiu a sede da empresa em San Bruno, Califórnia, e disparou uma série de tiros, deixando três pessoas feridas. Segundo a polícia local, ela teria cometido suicídio logo depois. A atiradora havia criticado as novas políticas de parceiros do YouTube.