Jan Koum, cofundador e CEO do WhatsApp, deixa o cargo no Facebook

Da Redação
01/05/2018 - 19h00
Executivo anunciou decisão em seu perfil na rede social; Saída acontece em meio a confrontos com o Facebook a respeito de políticas de privacidade

O cofundador e CEO do WhatsApp, Jan Koum, anunciou nessa segunda-feira (30) que está deixando o Facebook. A decisão acontece em meio a desentendimentos com o Facebook - que comprou o WhatsApp em 2014 por US$ 19 bilhões - e ainda sob a sombra do escândalo envolvendo o uso indevido de dados de milhões de perfis de usuários pela consultoria Cambridge Analytica.

O anúncio oficial de Koum surge depois do jornal The Washington Post citar fontes próximas a Koum de que o executivo estaria em desconforto com o Facebook, não concordando com políticas da rede social para obter dados pessoais do WhatsApp, além de tentativas de enfraquecer a criptografia do mensageiro que ajudou a construir.

Ao lado do outro fundador do WhatsApp, Brian Acton, Koum sempre defendeu a proteção das informações dos usuários. Em 2016, a ferramenta reforçou sua segurança criando um recurso de criptografia de ponta-a-ponta, que assegura - pelo menos, na teoria - de que o conteúdo trocado no app seja exclusivo do remetente e o destinatário. Dessa forma, nem WhatsApp ou Facebook têm acesso ao conteúdo. Entretanto, segundo o Post, executivos do Facebook estariam pressionando Koum para implementar uma criptografia mais permissiva. O objetivo seria facilitar o funcionamento do WhatsApp Business. Koum teria discordado. 

Koum anunciou sua saída por meio de nota publicada em sua página no Facebook. Os motivos, entretanto, não foram endereçados.

"Faz quase uma década desde que eu e Brian [Acton] começamos o WhatsApp. Foi uma jornada incrível com algumas das melhores pessoas, mas é hora de seguir em frente", escreveu. "Estou saindo em um momento em que as pessoas estão usando o WhatsApp de formas que nunca imaginei. A equipe está mais forte do que nunca e vai continuar produzindo coisas incríveis. Vou tirar uma folga para fazer coisas que gosto fora da tecnologia, como colecionar Porsches raros refrigerados a ar, trabalhar nos meus carros e jogar frisbees", completa.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, respondeu a mensagem de Koum, afirmando que sentirá falta de trabalhar com ele e que é grato por tudo que ele fez para “ajudar a conectar o mundo”.

"Sou grato por tudo que você fez para ajudar a fazer o seu mundo e por tudo o que você me ensinou, incluindo sobre criptografia e sua capacidade de obter energia de sistemas centralizados e com as mãos voltadas para as pessoas. Os valores serão sempre no coração do WhatsApp”, escreveu Zuckerberg. 

Vale lembrar que agora, com a saída de Koum, o WhatsApp não tem mais nenhum de seus cofundadores no Facebook. Brian Acton deixou a empresa em setembro de 2017 para abrir uma fundação sem fins lucrativos. Acton, inclusive, foi um dos executivos a levantar a bandeira do movimento #DeleteFacebook, na esteira do escândalo envolvendo a Cambridge Analytica.