Facebook lança vídeo publicitário para TV onde lembra 'desvios' da plataforma

Da Redação
26/04/2018 - 11h56
Anúncio será veiculado na TV e em salas de cinema nos EUA; No vídeo, companhia promete que fará melhor para proteger segurança e privacidade dos usuários

O Facebook começou a divulgar um anúncio que reconhece todas as coisas ruins que a plataforma atraiu nos últimos anos - fake news, spams, posts caça-cliques, anúncios maliciosos e afins. Tudo isso para chegar a mensagem de que fará melhor o seu trabalho para manter "você seguro e proteger a sua privacidade" e voltar ao que o "Facebook era bom em fazer, em primeiro lugar": conectar pessoas. O anúncio irá ao ar na TV, salas de cinema e durante alguns jogos da NBA, nos Estados Unidos, até julho.

O filme publicitário tem um minuto de duração (assista abaixo) e a voz do narrador sob uma trilha de fundo melancólica retoma um pouco da trajetória da rede social - o design antigo, inclusive, está lá. Entretanto, quando o Facebook começa a endereçar os problemas que "corromperam" a rede social, mencionando até mesmo o uso indevido de dados, o narrador diz apenas que "algo aconteceu", sem culpabilizar a própria companhia por sua política de privacidade e seus algoritmos. O vídeo termina concluindo que "isso irá mudar" a partir de agora.

Fato é que, o Facebook tem concentrado uma série de esforços para se mostrar mais transparente desde o escândalo envolvendo o uso de dados de 87 milhões de usuários pela consultoria Cambridge Analytica. Nesta semana anunciou, pela primeira vez em sua história, as diretrizes internas que utiliza para publicar ou banir conteúdos; lançou programa de recompensas para identificar apps que abusam do uso de dados de usuários e revisou sua política de privacidade.

O The Verge também lembra que o novo filme publicitário não é o primeiro que o Facebook trabalha para tentar recuperar a confiança quebrada com seus usuários - há anúncios também rodando em algumas cidades com mensagens que chamam atenção para os problemas que o Facebook agora dramatiza, como "fake news não é seu amigo" e "spam não é seu amigo".