Auditoria aprovou políticas do Facebook, mesmo após vazamento de dados

Da Redação
23/04/2018 - 10h51
Relatório positivo da PwC sobre práticas de privacidade da rede social coincide com a brecha que rendeu acesso a milhões de perfis de usuários a CA

A empresa de auditoria responsável por monitorar o Facebook informou no ano passado aos reguladores dos EUA que a rede social tinha proteções de privacidade suficientes, enquanto a rede perdeu o controle de uma enorme quantidade de dados obtidos indevidamente pela Cambridge Analytica, usados em uma consultoria política.

A afirmação, da PwC, é de um relatório apresentado à Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos, no início de 2017, obtido pelo NYTimes. “Os controles de privacidade do Facebook estavam operando com eficiência suficiente para fornecer garantia razoável para proteger a privacidade”, informa a análise, de fevereiro de 2015 a fevereiro de 2017.

O relatório é uma das várias revisões periódicas, após um decreto de 2011, que exigia que a rede social adotasse medidas para evitar o abuso das informações dos usuários e para informá-los de como e o que estava sendo compartilhado com outras empresas. A firma de auditoria, conhecida também como PricewaterhouseCoopers, efetivamente deu ao Facebook um atestado de conformidade.

Tudo certo, mesmo?

Mas foi durante esse período que o Facebook ficou ciente de que um pesquisador britânico, Aleksandr Kogan, havia fornecido à Cambridge Analytica (CA) dados privados de milhões de usuários da rede social.

A CA, que mais tarde trabalhou para a campanha Donald Trump, atual presidente dos Estados Unidos, usou a informação do Facebook para construir perfis psicológicos dos eleitores americanos durante a campanha para as eleições de 2016, conforme relatam ex-funcionários.

Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook, reconheceu aos legisladores que a rede social falhou. Na época, a rede social não informou aos usuários que CA havia obtido seus dados indevidamente.

Em depoimento no Senado, ele disse que o Facebook já havia aceitado as garantias de CA de que não estava mais usando os dados e os havia deletado. Não está claro, porém, se o Facebook informou aos seus auditores sobre o vazamento de dados provocado pela Cambridge Analytica ou se a PwC já sabia disso e não relatou na sua análise.