Empresa cocriada por Elon Musk quer criar máquinas usando inteligência artificial

Da Redação
17/04/2018 - 07h14
Em carta de apresentação, Open AI diz que a missão daqui para frente será desenvolver 'sistemas altamente autônomos, que superem os humanos em tarefas economicamente valiosas'

Elon Musk e Sam Altman confundaram a OpenAI e, inicialmente, tinham como objetivo saber como a inteligência artificial poderia servir melhor à humanidade. A nova carta de apresentação da empresa, porém, diz que a missão daqui para frente será desenvolver “sistemas altamente autônomos, que superem os humanos em tarefas economicamente valiosas”. Ou seja, tornar máquinas mais inteligentes do que pessoas.

O processo é chamado de inteligência artificial geral (AGI) e divide opiniões quando se trata de aprendizado de máquina. Agora, a OpenAI é puro AGI. Alguns especialistas, como Ray Kurzweil, do Google, acreditam que estamos a apenas algumas décadas da chamada singularidade — quando as máquinas se tornam mais inteligentes do que os humanos. Outros dizem que isso nunca acontecerá.

A próxima fase da OpenAI

Diferente da Tesla, porém, a OpenAI é uma organização sem fins lucrativos. Teve mais de US $1 bilhão em financiamento e apoio e está em uma posição privilegiada para se concentrar na tecnologia sem se preocupar com os acionistas ou em perder subsídios financeiros.

“Vamos tentar construir uma AGI segura e benéfica, mas também vamos considerar a missão cumprida se o nosso trabalho ajudar outros a alcançar este resultado”, diz o texto.

A empresa não tem um cronograma atual para desenvolvimento em AGI, mas iniciou o que chama de “a próxima fase da OpenAI”, que incluirá investimentos crescentes em pessoal e equipamentos com a intenção de “fazer avanços sucessivos em inteligência artificial”.