Não, o Facebook não está espionando você pelo microfone do celular

Da Redação
11/04/2018 - 10h18
Mark Zuckerberg declarou ao Senado americano que o aplicativo não escuta conversas de seus usuários para direcionar anúncios

Durante a primeira audiência de Mark Zuckerberg ao Senado norte-americano, o CEO do Facebook respondeu a um questionamento que muitos do seus usuários fazem: o microfone do smartphone estaria escutando suas conversas para mostrar anúncios na tela do aplicativo? Segundo o próprio Zuckerberg, não. 

O senador Gary Peters perguntou: "sim ou não, o Facebook usa áudio de dispositivos pessoais para preencher sua base de dados de anúncios?". Zuckerberg negou e explicou que usuários podem subir vídeos com áudio, mas que não há nenhuma espécie de espionagem nos bastidores para direcionar publicidade. Ele chega a definir a história como "teoria da conspiração".

Mas Peters foi mais incisivo no contexto de sua pergunta: "Eu ouvi de vários constituintes de que o Facebook está minerando o áudio de seus aparelhos móveis com o propósito de distribuir anúncios. Isso fala sobre a falta de confiança que estamos vendo. Eu entendo que há questões técnicas e logísticas para isso acontecer. Para registro, o Facebook usa o áudio obtido de dispositivos móveis para enriquecer a informação pessoal de seus usuários?".

Zuckerberg respondeu: "Não, senador. Deixe eu esclarecer isso. Você está falando sobre a teoria da conspiração que se passa ao redor que nós escutamos o que está acontecendo no seu microfone e usamos isso. Nós não fazemos isso. Nós permitimos pessoas levantarem vídeos em seus aparelhos e e compartilhá-los. Vídeos também contêm áudio. Nós o fazemos, enquanto você está subindo um vídeo, gravamos isso e usamos para fazer um serviço melhor para ter certeza que você tem o áudio. Isso está bem claro".