Grindr compartilhou dados e status de HIV de usuários com outras empresas

Da Redação
03/04/2018 - 18h23
Empresa responsável pelo app de relacionamento garantiu que dados foram compartilhados para melhorar funções do serviço e que não vendeu informações para terceiros

O popular aplicativo de relacionamento com foco na comunidade LGBT, o Grindr, compartilhava dados de usuários, incluindo seus status de HIV, com outras duas companhias, segundo informações apuradas pelo BuzzFeed News.

As duas companhias em questão são a Apptmize e Localytics, que oferecem ferramentas que ajudam parceiros a otimizarem seus aplicativos. Em comunicado enviado ao BuzzFeed News, o Grindr defendeu que tais informações foram compartilhadas exclusivamente com as empresas citadas e que não foram vendidas, apenas repassadas para melhorar a usabilidade do serviço. 

Entretanto, a questão mais delicada que se levantou foi o fato do Grindr compartilhar além dos dados de telefone, ID, e-mail e GPS, informações referentes ao status do HIV de seus usuários. A plataforma permite que usuários informem em seus perfis se são soropositivos ou não ou se ainda possuem HIV indetectável, quando a pessoa possui o vírus HIV, mas se encontra sob tratamento que a torna virtualmente incapaz de transmitir o vírus. Há ainda a possibilidade de informar "não sei" sobre tal status e quando o usuário do app fez o último teste de HIV. Nenhum usuário, na verdade, é obrigado a compartilhar tais informações, mas o aplicativo recomenda fazê-lo para ajudar a combater o estigma contra a doença e contra quem é soropositivo. 

Dados sensíveis

Um pesquisador ouvido pelo BuzzFeed News, Antoine Pultier, ressaltou que o grande problema aqui foi que o status de HIV dos usuários eram compartilhados junto de dados de geolocalização e de identidade, além de não notificar usuários de tais práticas de privacidade. 

Ao mesmo tempo, ao compartilhar tais informações com outras duas partes, o banco de dados de usuários do Grindr ficaria ainda mais suscetível a possíveis ataques. 

"Quando você combina isso com um app como o Grindr que, essencialmente, é destinado a pessoas que podem estar sob risco, especialmente dependendo do país onde vivem ou dependendo de como a população local é homofóbica, isso é uma prática especialmente ruim que pode colocar a segurança destes usuários em risco", disse Cooper Quintin, pesquisador de segurança da Electronic Frontier Foundation ao BuzzFeed News.

Em uma atualização da reportagem, o BuzzFeed informa que o Grindr decidiu parar de compartilhar as informações referentes ao status do HIV de seus usuários com outras companhias de analytics.

O Grindr possui mais de 3,6 milhões de usuários ativos diariamente ao redor do mundo.
 
 
  • # Tópicos
  • # APP