Facebook compra anúncios em 9 grandes jornais com pedido de desculpas

Da Redação
25/03/2018 - 14h41
Pedido de desculpas assinado por Mark Zuckerberg sai impresso nas edições dominicais de 9 jornais dos EUA e Reino Unido

O Facebook pode ser um gigante online com 2 bilhões de usuários, mas precisou usar um anúncio impresso na velha mídia impressa para garantir que as pessoas leiam na íntegra o contrito pedido de desculpas assinado pelo seu CEO, Mark Zuckerberg, sobre a participação da empresa no escândalo Cambridge Analytica.

Neste domingo, 25/03, as edições impressas dos 3 maiores jornais dos EUA (The Washington Post, The New York Times e The Wall Street Journal) e de seis jornais do Reino Unido, chegaram aos leitores com um anúncio de página inteira com o texto completo e a assinatura de Zuckerberg no rodapé. O título do texto, em letras grandes em negrito, diz "Temos a responsabilidade de proteger sua informação. Se não conseguimos, não a merecemos" (do inglês "We have a responsibility to protect your information. If we can’t, we don’t deserve it.” ).

O anúncio é parte do movimento adotado pelo Facebook desde quinta-feira para não só dar explicação sobre qual foi o papel da empresa no uso indevido dos dados de 50 milhões de usuários do Facebook pela consultoria política Cambridge Analytica, como também tentar resgatar a confiança e a imagem da companhia junto ao público e aos mercados. Além de ter publicado um longo post em sua página no Facebook, Zuckerberg deu entrevistas para a maioria dos grandes veículos de mídia online, impressa e de TV. Em todos, a frase do título do anúncio foi repetida à exaustão.

A semana terminou pessimamente para o Facebook e seu CEO. Desde que o escândalo estourou, no final de semana do dia 16/03, as ações da empresa desvalorizaram 11% (equivalente a mais de US$ 48 bilhões em valor de mercado da companhia); os órgãos reguladores dos EUA e União Europeia já indicaram que vão convocar Zuckerberg para se explicar; foi iniciado o movimento #deletefacebook no Twitter, com apoio do co-fundador do WhatsApp, Brian Acton; e Elon Musk, incentivado pelos internautas, não só apagou as páginas das suas empresas Tesla e Space X, como a sua própria, no Facebook.

Abaixo você vê a integra do anúncio:

anuncio zuck jornal