Google investirá US$ 300 milhões em iniciativas para combater fake news

Da Redação
22 de março de 2018 - 11h41
Novo programa da companhia, o Google News Initiative se dedicará a uma série de esforços que visam fortalecer e promover o jornalismo de qualidade

O Google anunciou nesta semana novos esforços para apoiar veículos de mídia mundo afora, como parte de sua estratégia para combater as chamadas fake news. Batizado de Google News Initiative, o programa conta com três objetivos específicos: elevar e fortalecer o jornalismo de qualidade enquanto combate desinformação, principalmente durante notícias urgentes; ajudar no crescimento de empresas de notícias de um ponto de vista dos negócios e entregar ferramentas tecnológicas que possam ajudar o trabalho de jornalistas. A gigante de tecnologia prometeu investir US$ 300 milhões nos próximos três anos como parte de sua iniciativa.

As notícias falsas se tornaram uma grande pedra no caminho do Google e de redes sociais como Facebook e Twitter. E as companhias têm sido, constantemente, cobradas para endereçar o problema com urgência. O YouTube, plataforma de vídeos do Google, planeja contextualizar vídeos com informações tiradas da Wikipedia, por exemplo. Isso porque vídeos conspiratórios facilmente viralizam e, consequentemente, se sobressaem nos resultados de buscas da plataforma.  

“Nossa missão é garantir que os conteúdos de notícias de qualidade sejam reconhecidos em todas as nossas plataformas, que os usuários possam encontrá-los facilmente e que os parceiros de notícias possam se beneficiar da sua criação”, informou o Google. “Queremos oferecer ferramentas e recursos de ponta aos parceiros de notícias para ajudá-los a entender e se conectar melhor com os usuários, melhorar os produtos e reforçar a infraestrutura tecnológica.”

 

Educar o leitor

O Google também acredita que em um mundo de desinformação é preciso educar o leitor. Muitas pesquisas mostram que pessoas têm dificuldades de discernir o que é uma notícia falsa de uma real. Como parte dos esforços, a companhia trabalha com o Poynter Institute, Stanford University e a Local Media Association para lançar um programa chamado MediaWise para jovens leitores melhorarem, digamos, sua alfabetização na mídia digital. O Google também mencionou que trabalha para identificar o que chama de "imprensa sintética" ou conteúdo que foi modificado algoritmicamente. 

Outra proposta é formar parcerias com organizações de mídias como a First Draft para lançar um novo laboratório de combate à desinformação, o "Disinfo Lab" durante eleições e breaking news. No entanto, a companhia ainda não deu mais detalhes de como se desdobrará esta iniciativa. 

Assine aqui

Outra novidade é o programa Assine com o Google. A ideia é tornar mais fácil para leitores concluírem a assinatura de sites com paywall, como o Financial Times. Usuários conseguirão assinar usando suas contas de pagamentos do Google, sem ter de passar por todas as etapas como preencher informações pessoais. A companhia já conta com parceiros e disse que ampliará sua rede em breve.