Elon Musk prevê para 2019 testes do foguete que transportará humanos a Marte

Da Redação
12/03/2018 - 18h25
Batizado de Big Falcon Rocket, veículo terá mais que o dobro da capacidade de carga do Falcon Heavy. Para empresário, colonizar Marte é questão de sobrevivência

Elon Musk é um grande entusiasta da vida em outros planetas. O fundador da Tesla, da The Boring Company e da SpaceX tem concentrado esforços e algumas iniciativas que visam financiar o lançamento de uma eventual missão tripulada a Marte. Entre elas está a criação de uma rede de satélites de comunicação própria para levar internet banda larga para regiões remotas

Agora, durante participação no South by Southwest, em Austin, TX, Musk reforçou que colonizar o planeta vizinho não é uma questão de turismo espacial ou qualquer coisa do tipo e sim uma questão de necessidade para a sobrevivência da espécie humana. Para ele, uma rota de fuga ao planeta vermelho é que manteria a nossa espécie a salvo de uma possível Terceira Guerra Mundial. 

Depois de lançar o seu mais poderoso foguete, o Falcon Heavy em fevereiro deste ano, a SpaceX agora trabalha em um veículo espacial que terá como missão transportar humanos a Marte, o Big Falcon Rocket. Segundo Musk, o novo foguete terá mais que o dobro da capacidade de carga do Heavy. 

Missões tripuladas em 2024

O empresário reforçou um cronograma otimista para iniciar voos curtos, decolagens e pousos usando o novo foguete, no caso, na metade do ano que vem. Entretanto, missões mais complexas exigirão um prazo relativamente maior, mas não distante. O plano de Musk prevê que em 2022 sejam enviadas duas missões ao planeta vermelho, com suprimentos e equipamentos, e duas missões tripuladas já em 2024 - ou seja, daqui seis anos, Musk quer enviar pessoas para darem início a colonização de Marte.

"Se houver uma Terceira Guerra nós queremos nos assegurar que existirá sementes da civilização humana em outro lugar, para serem trazidas e encurtarem a duração dos anos sombrios", disse. "É importante construir uma base autossustentável em Marte porque é longe o suficiente da Terra que, no caso de uma guerra, é mais propensa a sobreviver que uma base na Lua", completou.

A ascensão da inteligência artificial é um tema que também o preocupa Musk. Para ele, é urgente a criação de um órgão regulatório que possa acompanhar a evolução da tecnologia e que garanta a segurança e as boas intenções desses sistemas.  "A inteligência artificial é muito mais perigosa de bombas nucleares. Então por que não existe supervisão regulatória?", questionou.

SpaceX e Tesla quase foram à falência

Musk ainda revelou que a SpaceX e a Tesla, por pouco não fecharam as portas em 2008. Naquela época, ele acreditava que as chances de ambas terem sucesso eram baixas. O ano mais escuro foi 2008, lembra Musk. Naquela ocasião, o plano de lançar o foguete Falcon 1 falhou pela terceira vez, e a Tesla quase faliu dois dias antes do Natal. 

No mesmo ano que se divorciou e pediu dinheiro emprestado para os amigos para pagar o aluguel, Musk disse que a decisão que tomou foi investir US$ 40 milhões nas duas empresas com o valor que havia "sobrado" da venda da PayPal, empresa que cofundou e vendeu para a eBay em 2002.

"Quando você põe a sua energia na construção de algo, é como se fosse seu filho, então eu não conseguia escolher. Apliquei o dinheiro nas duas e, graças a Deus, ambas sobreviveram", disse.

No vídeo abaixo, você pode assistir a entrevista completa que Musk deu no SXWS 2018: