De olho em novas regras, Facebook lança campanha para falar sobre privacidade

Da Redação
29/01/2018 - 15h20
Rede social publicou seus princípios de privacidade e planeja uma série de vídeos educativos. Iniciativa é uma resposta às duras leis de proteção de dados que entrarão em vigor na UE

Pela primeira vez em sua trajetória,  o Facebook publicou o que chama de "princípios de privacidade" nesta segunda-feira (21). A companhia também informou que lançará uma série de vídeos no próprio Feed de Notícias dos usuários como parte de uma campanha de educação para entender como os dados são usados e gerenciados na plataforma. 

Na última semana, a rede social informou planos de lançar um centro global de configurações de privacidade. Este grupo irá centrar em apenas um local as configurações de privacidade, com o objetivo de facilitar ainda mais para usuários a gerenciarem.  

"Estamos lançando uma nova central de privacidade, globalmente, que colocará todas as configurações de privacidade do Facebook em um só lugar e tornará muito mais fácil para as pessoas gerenciarem seus dados", disse Sheryl Sandberg,  diretora de operações da rede social,  em um evento em Bruxelas.

A decisão do Facebook de tornar o uso de dados mais transparente não é por acaso. Isso porque as leis de proteções de dados da União Europeia, conhecidas como Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR), entram em vigor em maio deste ano. O GDPR é a maior revisão das regras de privacidade de dados pessoais desde o nascimento da internet e visa dar aos europeus mais controle sobre suas informações e como as empresas as usam. Todas as companhias que coletam grande quantidade de dados de clientes - de empresas de tecnologia a seguradoras e bancos - serão afetadas.

O GDPR aplicará regras a todos os 28 membros da UE, incluindo uma regra que exige que as empresas informem sobre vazamento de dados dentro de 72 horas. As empresas também deverão permitir aos usuários a possibilidade de exportar e excluir seus dados. Da mesma forma, usuários que não quiserem que determinados dados sobre eles permaneçam online poderão solicitar para que as empresas os exclua. As empresas que violarem o GDPR estarão sujeitas a multas de € 20 milhões ou até 4% da receita anual global.

"Reconhecemos que as pessoas usam o Facebook para se conectar, mas nem todos querem compartilhar tudo com todos, inclusive conosco. É importante que você tenha opções em relação a como seus dados são usados", escreveu o Facebook em seu post.

Os vídeos educativos, que devem ser publicados ao longo do ano aos 2 bilhões de usuários, explicarão tópicos como excluir postagens antigas; o que acontece com as informações do usuário quando uma conta é excluída, além de mostrar como gerenciar dados usados ​​para o Facebook Ads. 

O Facebook reitera que se comprometeu a cumprir o GDPR e que também está ajudando outras pequenas e médias empresas a se preparar para as mudanças que virão. 

"Nossos esforços para construir a proteção de dados em nossos produtos e dar-lhe mais informações e controle refletem os principais princípios que temos sobre a privacidade", afirmou Erin Egan, chefe da área de privacidade da empresa. "Continuaremos a melhorar as nossas ferramentas de privacidade e esperamos ouvir o que pensam".