Batalha de alto-falantes: Apple HomePod x Google Home x Amazon Echo

PC World / EUA
24/01/2018 - 11h55
Após anos de atraso, Apple finalmente entrará no segmento dos alto-falantes inteligentes com o lançamento do HomePod em fevereiro. Comparamos os produtos.

Imagem: Apple

O alto-falante inteligente da Apple, o HomePod, está quase entre nós. A empresa revelou nesta semana que o produto começa a ser vendido nos EUA em 9 de fevereiro, mais de oito meses após a sua apresentação na WWDC 2017.

A Apple está anunciando o HomePod como um aparelho de áudio (daí ele aparecer na aba Música no site da fabricante), mas numa época de presença cada vez maior do Amazon Echo e do Google Home, o dispositivo da empresa de Cupertino precisa ser muito mais do que um bom alto-falante para concorrer com os seus rivais com IA. 

Veja abaixo como essa disputa está se formando, com os principais pontos em que a Apple está em vantagem e desvantagem com relação aos rivais Home, do Google, e Echo, da Amazon.

- 5 pontos em que o HomePod deve superar o Amazon Echo e o Google Home

Mensagens e ligações

A principal vantagem da Apple sobre o Android é o Messages, e isso só vai ficar mais forte com o HomePod. Apesar de você poder enviar o Google Assistente em aparelhos Android para enviar mensagens, não é possível fazer isso de maneira fácil com o Google Home. O Echo te permite enviar mensagens, mas elas só serão enviadas para os usuários conectados com a Alexa (seja por um app ou aparelho). No entanto, você poderá pedir para o HomePod enviar mensagens da mesma forma que faria com o iPhone, dizendo algo como “Hey Siri, envie uma mensagem para a minha esposa”. Além disso, você poderá usar o HomePod como um alto-falante para fazer ligações para qualquer pessoa (e não apenas usuários do HomePod). E os desenvolvedores poderão integrar os seus aplicativos de mensagens com o gadget.

Som

A Apple está apostando alto no HomePod como um aparelho para audiófilos. Veja a descrição do produto no site da fabricante: “O HomePod combina tecnologia de áudio desenvolvida pela Apple e software avançado para entregar o som de alta fidelidade pela sala, independente de onde ele esteja colocado.”

O mais provável é que o HomePod supere qualquer um dos aparelhos Amazon Echo em termos de qualidade de som. O Google possui o seu próprio alto-falante de alta resolução, o Home Max, mas a Apple alega que o design e o reconhecimento espacial únicos do tweeter e do woofer do aparelho serão superiores. 

Temos ainda a Sonos One, que conta com a Alexa, mas a integração de produtos de terceiros com assistentes inteligentes ainda é irregular. Então se as afirmações da Apple se provarem verdadeiras, o HomePod será o melhor alto-falante inteligente em termos de som do mercado. 

Apple Music

Após mais de três anos, a melhor maneira de fazer streaming da sua biblioteca musical na sua casa ainda é pela TV. O HomePod quer mudar isso com uma integração completa com o Apple Music e suporte para comandos e playlists via Siri. A Apple também diz que vai aprender sobre os seus gostos com base nas músicas que você gosta (ao dizer, por exemplo, “Hey Siri, eu gosto disso”) e ajustar suas playlists e recomendações de acordo com isso. Apenas esse já é um recurso e tanto para muitos dos milhões e milhões de usuários do Apple Music.

Anotações

De forma surpreendente, fazer anotações é algum um tanto irregular nos alto-falantes inteligentes. Nos aparelhos Echo, por exemplo, é preciso ativar uma das muitas habilidades disponíveis, e no Google Home é necessário usar o app IFTTT para colocar uma anotação no seu aplicativo de escolha. 

Já o HomePod funcionará com o Apple Notes logo de cara e sincronizará automaticamente todas as anotações ditadas dentro do app Notes no seu iPhone, assim como adicionar lembretes e coisas a fazer. E, com o SiriKit for HomePod, os desenvolvedores também poderão conectar os seus aplicativos ao HomePOd. 

Privacidade

A privacidade é algo importante com os aparelhos da Apple, e é provavelmente a razão principal pela qual levou tanto tempo para termos um alto-falante com a Siri. Como o Echo e o Home, o HomePod não começa a gravar até ouvir o comando “Hey Siri”. E, mesmo aí, a Apple tomou medidas para proteger a sua privacidade: “Com o HomePod, apenas depois que ‘Hey Siri’ for reconhecido localmente no aparelho qualquer informação será enviada aos servidores da Apple, de forma criptografada e por meio de um identificador anônimo da Siri.”

Essa última parte que faz a diferença maior aqui. Enquanto Google e Amazon também criptografam as suas conversas, tudo o que você diz está conectado com a sua conta, então elas sabem muito sobre você. A Apple só está interessada em tornar a Siri melhor, não saber mais sobre seus usuários, então não saberá o que você está perguntando/dizendo. 

echoshow_625.jpg

Amazon Echo Show (Imagem: Amazon)

- 5 pontos em que o Amazon Echo e o Google Home devem superar o Home Pod 

Ações e habilidades

O Home e o Echo possuem uma grande vantagem em relação ao HomePod, mas não apenas em termos de hardware. O Google Assistente e a Amazon Alexa possuem muito mais habilidades do que a Siri, graças a um grande volume de habilidades e ações de terceiros. O HomePod terá algumas integrações no lançamento, mas não parece que conseguirá fazer todas as coisas divertidas que os rivais já fazem, como tocar “dança das cadeiras” e ler histórias de ninar.  

É claro que a Apple muito provavelmente vai adicionar essas ferramentas com o tempo, mas no lançamento o HomePod terá muito menos habilidades do que seus principais concorrentes.

Música em geral

Os assinantes do Apple Music certamente vão adorar o HomePod, mas quem ouve música em outras plataformas será deixado de lado. Apesar de o site especializado 9to5Mac estar afirmando que o HomePod irá “reproduzir conteúdo comprado pelo iTunes, fazer streaming do Beats 1 e permitir acesso a podcasts sem precisar de uma assinatura”, a Apple ainda não confirmou essa informação. Mesmo que essa história das bibliotecas do iTunes seja real, quem utiliza o Spotify, Deezer, Google Play Music, Amazon Music ou outro serviço derá deixado de lado – para deixar claro, será possível usar o HomePod como um alto-falante do AirPlay para reproduzir áudio a partir do seu iPhone, mas sem nenhum controle por voz.

No Google Home e no Amazon Echo, por outro lado, você pode fazer streaming do que quiser. Com exceção do Apple Music, de qualquer forma.

Áudio multisalas

Quando o HomePod chegar em fevereiro, não terá um recurso chave: áudio multisalas. Uma das principais partes da apresentação da WWDC era justamente a habilidade do produto em transmitir áudio de um HomePod para outro em diferentes salas, um recurso que já está disponível nos rivais Home e Echo. Mas os primeiros usuários do HomePod não terão isso, e a Apple não revelou quando a funcionalidade estará disponível.

Tela

Apesar de o HomePod tecnicamente possuir uma tela no topo do aparelho para mostrar controles e gráficos rudimentares, ela parece extremamente simples em comparação com o Amazon Echo Show e Spot, assim como a linha de telas inteligentes com Google Assistente que foram reveladas na CES 2018. 

lenovogoogledisplay_625.jpg

Tela inteligente da Lenovo com Google Assistente (imagem: Lenovo)

Preço

O HomePod chega ao mercado por 350 dólares, na contramão do segmento de alto-falantes inteligentes. O alto-falante mais caro da Amazon é o Echo Show, que custa 230 dólares e traz uma tela embutida de 7 polegadas – mas o Echo Dot custa apenas 50 dólares.  

Já o Google Home Max custa ainda mais do que o HomePod, por 400 dólares, mas a gigante de buscas também possui versões mais em conta, como o Home Mini, por 50 dólares.

A Apple já está chegando tarde ao mercado, e esse preço alto pode fazer com que a adoção do HomePod seja mais lenta do que o esperado.

googlehomemini_625.jpg

Google Home Mini custa US$50 (imagem: Google)