Intel pede para usuários não instalarem patches problemáticos do Spectre

PC World / EUA
22 de janeiro de 2018 - 18h08
Empresa mudou o discurso após insistir que usuários instalassem os updates, mesmo com os bugs, que incluem reinicializações indesejadas do sistema.

A Intel emitiu um comunicado nesta segunda-feira, 22/1, pedindo para que os usuários deixem de instalar os patches disponíveis atualmente contra a falha de CPU Spectre, que podem reiniciar as máquinas contra a vontade dos donos, além de impactar o desempenho de alguns sistemas.  

“Agora identificamos a causa raiz para as plataformas Broadwell e Haswell, e fizemos um bom progresso em desenvolver uma solução para resolver o problema”, afirmou o VP executivo da Intel, Navin Shenoy, em um post no blog da empresa.

Até então, a empresa vinha pedindo para os usuários instalarem essas atualizações contra as falhas, mesmo com os bugs.

“Recomendamos que as fabricantes de hardware, provedores de serviços na nuvem, desenvolvedores de sistemas, empresas de software e usuários finais parem de instalar as versões atuais, já que elas podem introduzir mais reinicializações do que o esperado e outros comportamentos inesperados do sistema.”

Apesar do post do executivo da Intel mencionar explicitamente apenas os chips Broadwell (2013) e Haswell (2014), a nova diretriz de revisão de microcódigo da empresa aponta que esse conselho também se aplica a processadores mais modernos, como Sandy Bridge (2011), Ivy Bridge (2012), Skylake (2015) e Kaby Lake (2017).

Agora é preciso ficar de olhos bem abertos à espera dessas novas atualizações, que deverão ser publicadas em breves por fabricantes de PCs, como HP, Dell, Asus, entre outras.