Amazon registra patente para drone que se autodestrói em caso de emergência

Da Redação
01/12/2017 - 11h08
Documento descreve tecnologia que conseguiria controlar drone e fragmentá-lo no ar para, então, cair em áreas 'seguras'

A Amazon tem levado a sério os seus planos de, eventualmente, usar drones para realizar a entrega de milhares de produtos mundo afora. Mas enquanto nossos horizontes não ficam congestionados por pequenos veículos aéreos não tripulados, a companhia de Jeff Bezos precisa desenvolver um veículo que garanta a entrega, mas que seja seguro para a coexistência com as pessoas, e claro, não danifique os produtos transportados. 

Agora, a última novidade sobre a iniciativa envolvendo drones da Amazon é o pedido de uma patente que descreve tecnologia que permitiria um drone se autodestruir caso algo dê errado no percurso.

A patente ilustra a tecnologia por trás da chamada "fragmentação direta para veículos não tripulados". Um controlador - que acionaria a fragmentação do drone - assumiria o aparelho em caso de erro, como uma bateria explodindo ou uma falha no motor. Antes de iniciar a sequência da fragmentação, o computador estudaria, rapidamente, a localização e a rota do veículo, as condições do tempo e um terreno próximo, onde o drone poderia se desmembrar sem causar, digamos, algum dano maior ou uma catástrofe - até porque a ideia da queda de um drone com material inflamável ou qualquer outro tipo de produto já soa perturbadora, mesmo diante uma solução planejada.

Drone-Amazon-patente

Segundo o pedido de patente, durante a sequência de fragmentação, uma ou mais partes ou componentes do drone poderiam ser lançados. Assim, diz o documento, o peso, a velocidade e outros fatores relacionados ao drone poderiam ser alterados. A Amazon também sugere que a ordem em que as peças são descartadas pode ser selecionada com base em seu valor, e depois separada usando ganchos, molas ou pequenas cargas explosivas.

Da mesma forma como acontece com outros pedidos de patente, não é certo que a companhia leve adiante a tecnologia. Até então, a Amazon tem entregue uma série de pedidos para patentear possíveis soluções que incluem a logística de drones e outras formas de assegurar os veículos e pedestres. 

Apesar da tecnologia já estar apta para realizar, com sucesso, entregas comerciais usando drones, há uma distância significativa para que entregas sejam realizadas na vida real, tendo em vista que a Amazon ainda encara uma série de regulações, permissões e burocracias.