Windows 7 cai um pouco, mas ainda está em 46% dos PCs no mundo

PC World / EUA
10/11/2017 - 17h14
Lançado em 2009, sistema da Microsoft vem diminuindo nos últimos meses, mas precisa acelerar o ritmo até a sua aposentadoria, em janeiro de 2020.

Imagem: divulgação/Microsoft

O Windows 7 perdeu mais alguns usuários no mês passado à medida que a sua fatia no universo Windows desceu para mais perto dos 50%. Mas se o sistema veterano fosse uma pessoa, seria aquele convidado da sua festa que ficou muito tempo além do normal, continuando na sua casa depois que todos saíram e você foi para a cama.

Segundo dados da empresa de análises Net Applications, o Windows 7 fechou outubro com 46,6% dos usuários de computadores, uma queda de seis décimos de ponto percentual. Mais notável ainda é o fato de que o software foi usado em 51,4% dos PCs Windows no mês passado, número 0,7% menor do que o registrado no mês anterior. Vale destacar que o segundo número é maior porque o Windows é usado em 90,8% dos PCs no mundo e não 100% - o restante utiliza o macOS, da Apple, ou alguma distribuição do Linux. 

A queda do Windows 7 em outubro foi apenas metade do declínio registrado em setembro, mas ainda foi a terceira maior do sistema da Microsoft em 2017. 

O enfraquecimento contínuo do Windows 7 entre os usuários – já são cinco meses consecutivos de quedas – é um sinal promissor, já que o sistema tem um prazo cada vez mais próximo. A Microsoft determinou a aposentadoria do Windows 7 para 14 de janeiro de 2020, daqui cerca de 26 meses. Quanto mais rápido o Windows 7 perder participação no mercado, menor a chance de empresas se encontrarem rodando máquinas sem patches – e, por consequência, vulneráveis. Ninguém quer uma repetição do pânico dos últimos meses de vida do Windows XP, quando as empresas estouraram os orçamentos das áreas de TI para aposentar forçadamente o sistema obsoleto. 

Mesmo assim, o Windows 7 continua com um ritmo mais lento do que o XP. Com 26 meses restantes antes da sua aposentadoria em abril de 2014, o XP respondia por 49,4% das máquinas Windows, dois pontos a menos do que a fatia do Windows 7 no último mês de outubro. De qualquer forma, as coisas podiam ser piores. Em agosto, por exemplo, o Windows 7 estava três pontos atrás do ritmo do XP.  

Enquanto isso, o Windows 10 viu um salto na participação de dois décimos de ponto percentual, encerrando outubro com 29,3%. Quando apenas sistemas com Windows são contados, a fatia sobe para 32,8%. 

Mas as comparações de hoje com o passado novamente jogam contra a Microsoft ao colocar o Windows 10 ao lado do Windows 7. No momento pós lançamento em seu ciclo de vida, o Windows 7 tinha 36,4% de todos os PCs e 39,5% dos PCs Windows. Em outras palavras, o Windows 10 ficou atrás do ritmo de adoção do Windows 7.

Entre as outras versões do Windows rastreadas pela Net Applications, o Window Xp fechou outubro presente em 7,1% dos PCs Windows (pequena alta), o Windows Vista com apenas 0,5% (estável) e a combinação mal-sucedida Windows 8/8.1 caiu para 7%.