Buscas no Google sobre temas ligados à diversidade cresceram 30% em 2017

Da Redação
23 de outubro de 2017 - 16h58
Segundo levantamento do Google feito no Brasil, hoje se busca duas vezes mais pelo tema do que em 2012; buscas sobre feminismo cresceram 200% nos últimos dois anos

As buscas no Google e YouTube sobre temas ligados à diversidade saltaram 30% em 2017, segundo levantamento do Google BrandLab São Paulo, área da empresa focada em identificar hábitos e insights para inspirar a estratégia digital de marcas e agências de publicidade.

Os especialistas do BrandLab analisaram milhões de dados da busca do Google e do YouTube para entender como o brasileiro se comporta quando o assunto é diversidade.

Segundo o levantamento, hoje se busca duas vezes mais por assuntos relacionados ao tema do que em 2012. E o tema vai muito além de cor e gênero, isso porque a busca em si também é diversa, refletindo conteúdo sobre diversidade sexual, religiosa, cultural, étnica, social, entre outras.
 
Os pesquisadores também cruzaram os dados da Busca e do YouTube com informações de geolocalização para entender como interesses variam de estado para estado e criaram um mapa da diversidade no país. No estado de São Paulo, internautas buscaram 30% mais sobre questões LGBTQI+ do que a média nacional, em 2016. No estado da Bahia, buscou-se 60% mais sobre racismo e Rio de Janeiro e Espírito Santo lideram as buscas por feminismo. 

 

MapaDiversidadeGoogle 

 

De acordo com o levantamento, os temas que mais resultam em buscas no Brasil hoje são: Feminismo, Racismo e LGBTQI+. Em 2017, o feminismo alcançou em volume de busca, patamares equivalentes ao de racismo, que sempre foi o tema, dentro de diversidade, mais discutido no Brasil. Hoje, busca-se quatro vezes mais sobre empoderamento do que em 2012.

FutureFemale

No YouTube, o crescimento médio de views de conteúdos sobre Homofobia, LGBTQI+, Feminismo e Racismo foi de 260% nos primeiros seis meses do ano.

Segundo o Google BrandLab, a pesquisa deixa claro o papel fundamental da internet ao dar voz, diversificar e ampliar o tema. Para ver a pesquisa na íntegra, acesse o Think with Google.
 

*Fonte: Google BrandLab São Paulo