Agora é oficial: Amazon começa a vender eletrônicos no Brasil

Luiz Mazetto
18/10/2017 - 00h12
Página inicial do site já avisa: “Nova Loja de Eletrônicos”. A lista inclui Celulares e Telefonia, Eletrônicos, TV e Áudio, Games e Informática e Acessórios.

Após quase cinco anos no Brasil, a Amazon.com.br finalmente começou a vender oficialmente aparelhos eletrônicos no país à meia-noite desta quarta-feira, 18/10, conforme tinha sido previsto na última semana pelo jornal Valor Econômico. No total, são mais de 110 mil itens disponíveis na nova plataforma da gigante no país.

Em um comentário na rede social profissional LinkedIn, Alex Szapiro, vice-presidente (country manager) da Amazon no Brasil celebrou o lançamento parabenizando a equipe brasileira e remetendo à primeira página do site da Amazon no Brasil, onde a chamada “Nova Loja de Eletrônicos” mostra que agora estão à venda diversas categorias de produtos, que vão além de livros e aparelhos Kindle. A lista inclui Celulares e Telefonia, Eletrônicos, TV e Áudio, Games e Informática e Acessórios.

Sem Echo

Chama a atenção, no entanto, a ausência dos aparelhos eletrônicos da própria Amazon, como a linha de alto-falantes inteligentes Echo e os tablets Kindle Fire – os gadgets da companhia continuam limitados aos e-readers Kindle.

alex szapiro

Marketplace

Os produtos são vendidos por meio do marketplace da Amazon. Ou seja, são comercializados por terceiros, mas possuem algumas garantias, como entrega e parcelamento dos pagamentos, fornecidas pela gigante de e-commerce. 

No lançamento há diversas ofertas diferenciadas e a empresa também está realizando algumas promoções, como dar um e-book Kindle para cada compra dos novos produtos eletrônicos na sua loja.

A entrada da Amazon Brasil na área de eletrônicos acontece em tempo de pegar a temporada de Black Friday 2017, o que deverá aquecer os resultados da companhia no país este ano. A empresa não divulga números, mas segundo o site Statista.com, a receita global gerada com a venda de produtos de terceiros (o marketplace) é a segunda maior receita da companhia (a primeira é a venda de produtos em geral por ela mesma), seguida da receita gerada por assinatura de serviços e pela AWS.