Proprietário de casa ofertada no Airbnb filmava secretamente seus hóspedes

Da Redação
11/10/2017 - 13h12
Wayne Natt, de 56 anos, usava suposto detector de fumaça para gravar atividades sexuais de hóspedes em casa na Flórida, informou a polícia local

Alugar um quarto ou a casa de uma pessoa completamente estranha se tornou algo relativamente comum graças a economia compartilhada. No entanto, a facilidade e, bem, a economia por trás da transação não garante que você estará livre de ouvir ou mesmo vivenciar algumas experiências, no mínimo, bizarras. 

Um casal do estado de Indiana (EUA) alugou uma casa no Airbnb para passar suas férias na Flórida. E o que eles não esperavam é que o aparente detector de fumaça instalado acima da cama do quarto onde dormiam estava gravando todos os seus passos, conversas e intimidades. As informações são da rede de TV ABC

Derek Starnes e sua mulher já tinham dormido uma noite quando olharam para o teto do quarto e perceberam um pequeno buraco negro no detector de fumaça. Eles removeram o dispositivo e descobriram que o aparelho se tratava de uma câmera que gravava vídeo e áudio em um cartão SD. 

Após ser alertada pelo casal, a polícia conseguiu encontrar o proprietário da casa. Wayne Natt, de 56 anos, disse à polícia que todos os hóspedes sabiam que eram filmados e que deram o consentimento para gravar "dezenas de vídeos" de festas sexuais que ele dava em sua casa. Natt chegou a ser preso, mas foi liberado após pagar fiança, porém deve ainda enfrentar acusações.

A polícia reportou ainda que encontrou outra câmera de vídeo em uma sala diferente da casa que ficou disponível para aluguel no Airbnb por dois anos. 

Starnes relatou que o proprietário-voyeur tinha mais de 40 comentários que o bem avaliavam no Airbnb. Ainda não se sabe o total das vítimas filmadas que se hospedaram na casa de Wayne Natt e o que foi feito com tais imagens.  Um porta-voz da startup baseada em São Francisco enviou à ABC uma declaração sobre o incidente:

"Estamos indignados com os relatos do que aconteceu; Assim que fomos informados, proibimos permanentemente esse indivíduo da nossa comunidade e apoiamos os hóspedes afetados. Nossa equipe alcançou as forças policiais locais para ajudá-los com sua investigação sobre essa ofensa flagrante e esperamos que a justiça seja atendida. Levamos as questões de privacidade extremamente a sério e temos uma política de tolerância zero contra esse comportamento".

À ABC, o casal disse que nunca mais ficará em um apartamento ou casa ofertada através do Airbnb.