Nobel de Física é dado a cientistas que detectaram fenômeno previsto por Einstein

Da Redação
03/10/2017 - 10h16
Alemão Rainer Weiss e os americanos Barry Barish e Kip S.Thorne, que integram o projeto LIGO, dividirão o prêmio. Em 2015, eles conseguiram detectar as ondas gravitacionais

Os cientistas que lideraram o projeto responsável pela detecção inédita das ondas gravitacionais, o alemão Rainer Weiss e os dois norte-americanos, Barry Barish e Kip S.Thorne, foram laureados nesta terça-feira (03) com o Nobel de Física de 2017.  Ao anunciar o prêmio, a Academia Real Sueca de Ciências chamou o feito de "uma descoberta que abalou o mundo".

Os pesquisadores integram o consórcio internacional LIGO (Laser Interferometer Gravitational Wave Observatory), um projeto que abrange mais de 20 países e acumula quase 50 anos de contribuições. 

O observatório consiste em dois enormes detectores de cerca de 4 km de extensão instalados nos estados de Washington e Louisiana. Tais equipamentos - tidos como os mais precisos do mundo - permitiram provar a existência das ondas gravitacionais, observadas pelos cientistas pela primeira vez no dia 14 de setembro de 2015. O fenômeno foi previsto pelo físico Albert Einstein há mais de 100 anos como parte da Teoria Geral da Relatividade. 

Além de provar que a teoria de Einstein é sólida, a descoberta do consórcio LIGO promete mudar a forma como estudamos o universo. Ao detectar e medir ondas gravitacionais, os cientistas passaram a enxergar objetos do universo que não emitem luz nem radiação eletromagnética e "que não poderiam ser vistos de outra forma".

O que os pesquisadores descobriram foram distorções em escala atômica no espaço e no tempo causadas pela colisão de dois buracos-negros. Neste caso, um evento que aconteceu há 1,3 bilhão de anos. Tal cataclismo lançou ondas em todas as direções que só chegaram recentemente à Terra.

No Brasil, físicos do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e do IFT-Unesp (Instituto de Física Teórica da Universidade Estadual Paulista) participaram do projeto LIGO.

Weiss receberá metade do prêmio de 9 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 3,5 milhões), enquanto Thorne e Barish dividirão a outra metade.