Em alta: conexões 4G crescem 59% e atingem 2,37 bilhões pelo mundo

Da Redação
11 de setembro de 2017 - 11h09
Participação de mercado da LTE comparada com todas as outras tecnologias de mobilidade sem fio atingiu 30% no fim do segundo trimestre, segundo dados da Ovum

O número global de conexões 4G (LTE) cresceu 59% entre junho de 2016 e junho deste ano, totalizando 2,37 bilhões de assinaturas. A participação de mercado da LTE comparada com todas as outras tecnologias de mobilidade sem fio atingiu 30% no fim do segundo trimestre, o que representa um aumento de 10 pontos percentuais em um ano. A LTE contabilizou 878 milhões de novas conexões em apenas um ano, de acordo com dados da Ovum referentes ao segundo trimestre de 2017.

Relatório divulgado pela 5G Americas, a associação setorial e voz da 5G para as Américas, revela que a região da América do Norte registrou 327 milhões de assinaturas LTE até o fim de junho, com algumas das maiores taxas de penetração e a maior cobertura e participação de mercado para a LTE no mundo.  O número de conexões na América Latina praticamente dobrou em um ano, crescendo de 81,5 milhões para 159 milhões até o segundo trimestre de 2017, um aumento de 95%.

A instalação de redes LTE continua e no meio de agosto, a TeleGeography (GlobalComm) divulgou 551 redes comerciais LTE no mundo, e 206 destas operadoras já migraram para a LTE-Advanced.

Em termos globais, a LTE deve manter essa trajetória e atingir mais de 2,5 bilhões de conexões até o fim deste ano, 3 bilhões em 2018 e 4,9 bilhões, em 2022. A 5G deve começar a acumular conexões a partir de 2019 e deve registrar 389 milhões de conexões no mundo inteiro até2022.

De acordo com o presidente da 5G Americas, Chris Pearson, assinantes da América do Norte estão utilizando os benefícios dos avanços tecnológicos da LTE, por que dependem da LTE para garantir que estejam sempre conectados em qualquer lugar, com velocidades robustas de dados. “Ao mesmo tempo, o setor sem fio está avançando rapidamente para a implementação da 5G.”

Na América do Norte, a LTE registrou 327 milhões de conexões e penetração de 90,5%, comparado com uma população de 362 milhões. Essa taxa de penetração pode ser comparada com a Europa Ocidental e a Oceania, as próximas regiões no ranking, e o Leste e Sudeste Asiático, ambos com uma taxa de penetração de 54%. A taxa penetração da LTE na América do Norte deve passar o marco de 100% em 2018.

A instalação de redes LTE continua e no meio de agosto, a TeleGeography (GlobalComm) divulgou 551 redes comerciais LTE no mundo, e 206 destas operadoras já migraram para a LTE-Advanced.

Em termos globais, a LTE deve manter essa trajetória e atingir mais de 2,5 bilhões de conexões até o fim deste ano, 3 bilhões em 2018 e 4,9 bilhões, em 2022. A 5G deve começar a acumular conexões a partir de 2019 e deve registrar 389 milhões de conexões no mundo inteiro até2022.

De acordo com o presidente da 5G Americas, Chris Pearson, assinantes da América do Norte estão utilizando os benefícios dos avanços tecnológicos da LTE, por que dependem da LTE para garantir que estejam sempre conectados em qualquer lugar, com velocidades robustas de dados. “Ao mesmo tempo, o setor sem fio está avançando rapidamente para a implementação da 5G.”

Na América do Norte, a LTE registrou 327 milhões de conexões e penetração de 90,5%, comparado com uma população de 362 milhões. Essa taxa de penetração pode ser comparada com a Europa Ocidental e a Oceania, as próximas regiões no ranking, e o Leste e Sudeste Asiático, ambos com uma taxa de penetração de 54%. A taxa penetração da LTE na América do Norte deve passar o marco de 100% em 2018.

Além de registrarem uma taxa de penetração muito acima das outras regiões, nos EUA e o Canadá a LTE possui a maior participação de qualquer tecnologia móvel, com 71%, comparada com 49% na Oceania e Leste e Sudeste Asiático e 39% na Europa Ocidental. A participação de mercado represents a porcentagem de conexões móveis sem fio que dependem da tecnologia LTE, comparada com todas as outras tecnologias móveis.

“A LTE mantém sua trajetória de crescimento na América Latina e o Caribe com a expansão das redes existentes e outros mercados passando a oferecer a tecnologia LTE-Advanced”, disse Jose Otero, diretor da 5G Americas para a América Latina e o Caribe. “A região também deve se beneficiar dos testes com a LTE-Advanced Pro em vários mercados, desde a Argentina no Sul e a Antigua e Barbuda no Caribe. A adoção dessa tecnologia deve acelerar com a alocação de mais espectro no Caribe e na América Central e a crescente cobertura da rede LTE”.

A participação de mercado da LTE aumentou de 12% para 23% nos doze meses até junho deste ano, crescendo praticamente 100% na região.

“A LTE ganhou 878 milhões de novas assinaturas no mundo inteiro entre o segundo trimestre de 2016 e o mesmo período deste ano, com praticamente a metade dessas novas assinaturas (48%) registradas na Oceania e o Leste e Sudeste da Ásia, onde a China contribui a grande maioria dessas novas assinaturas”, disse Kristin Paulin, analista Sênior da Ovum. “Do outro lado, a região Central e Sul da Ásia registrou o maior crescimento do número de assinantes LTE no mesmo período de 1.203%, com a Índia fazendo a maior contribuição para a LTE, enquanto a penetração da tecnologia LTE nesta região é de apenas 10%”. “Em comparação, a América do Norte mantém um índice de penetração de 90% para a LTE, por esse motivo, a taxa de crescimento anual desta região foi de apenas 20% até o 2T 2017.”