Google anuncia vencedores do programa de bolsas de pesquisa para América Latina

Carla Matsu
24/08/2017 - 16h00
Ao todo, 27 projetos foram selecionados; 17 deles são do Brasil. Iniciativa contemplará, ao longo de um ano, bolsas que somam 2 milhões de reais

O Google anunciou nesta quinta-feira (24), em evento realizado no Campus São Paulo, os vencedores do Latin American Research Awards (LARA). O programa beneficia pesquisadores da área de Ciência da Computação com bolsas de pesquisa que somam aproximadamente 2 milhões de reais, entregues ao longo dos próximos 12 meses. 

Nesta quinta edição, o programa recebeu 281 submissões, e 27 projetos foram selecionados, sendo 17 deles do Brasil.   

Segundo Adriana Noreña, VP do Google para a América Latina, o LARA parte de um projeto global da gigante de tecnologia que visa incentivar a pesquisa na região. “Cada vez mais a tecnologia é uma fonte de impacto econômico. Estamos orgulhosos de todos os projetos, mas há muitas mais oportunidades ainda a explorar”, ressaltou durante o evento.

Entre os projetos selecionados está o de Anselmo Frizera-Neto e Andrés Alberto Ramírez-Duque, da Universidade Federal do Espírito Santo. Dedicado a auxiliar o diagnóstico de crianças com transtorno do espectro de autismo, a solução recorre a um ambiente de interação multimodal baseado em visão computacional e um dispositivo robótico. Segundo os pesquisadores, o trabalho visa desenvolver uma ferramenta aberta baseada em tecnologia para auxiliar clínicos no diagnóstico e intervenções terapêuticas para crianças com autismo. 

Da Universidade Federal do Paraná, a pesquisa de André R. A. Grégio e Fabricio Ceschin também foi contemplada. A equipe busca desenvolver novos e adaptáveis modelos para identificar se um programa é malicioso ou não durante a sua execução, mesmo quando seu comportamento é sutil, criando um detector de infecção em tempo real. “Também pretendemos criar um conjunto de dados públicos que possua o maior número possível de recursos de programas maliciosos, o que se beneficiará das nossas técnicas propostas para estar sempre atualizado”, explicam. Os modelos dependerão de machine learning para a classificação em vários estágios.

Aprendizagem profunda, inclusive, foi o denominador comum de muitos dos projetos desta edição do LARA. O crescimento do número de pesquisadores na região investindo em machine learning, campo de estudo que permite ensinar computadores a aprender sem que estes sejam explicitamente programados, é notável, segundo a iniciativa e “extremamente positivo”. Dos 27 projetos escolhidos, 14 utilizam aprendizagem de máquina.

“O que se observa de pesquisa nas universidades reflete também na tendência que vemos nos projetos de machine learning”, salienta Berthier Ribeiro-Neto, diretor de engenharia do Google para América Latina. “Machine learning permite chegar a soluções de forma muito mais rápida. Sem ela, você está fora do estado da arte da tecnologia. Reconhecendo isso, o Google muda sua posição de mobile first para o modo machine learning first”, revela.  

A necessidade de ampliar a comunicação entre as universidades e empresas também foi destacada no evento. Berthier, hoje executivo do Google, tem um histórico reconhecido entre a pesquisa e o empreendedorismo. Nos anos 1990, uma pesquisa conduzida ao lado de estudantes de engenharia da computação, da Universidade Federal de Minas Gerais, deu origem a um algoritmo capaz de realizar buscas na Internet de forma mais eficiente. A descoberta e o desenvolvimento se tornou a, então startup Akwan, responsável pelo metabuscador TodoBR, que detinha 25% do mercado de buscas no Brasil. Em 2005, a Akwan foi adquirida pelo Google.  

Quando se pensa na América Latina, diz Berthier, a expertise ainda se concentra nas universidades. “Por isso, é preciso estabelecer uma comunicação entre empresas e academias para que seja possível gerar inovação que, de fato, impacte e contribua com a comunidade e não fique isolada somente no mundo acadêmico. Esse encontro é uma possibilidade de iniciar um diálogo,” diz. 

Desde o lançamento em 2013, o Latin American Research Awards já beneficiou 46 projetos, e mais de 100 pesquisadores, entre alunos de pós-graduação e orientadores. Para conhecer todos os 27 projetos selecionados desta quinta edição, acesse o link