Polícia do Piauí prende homem por crime de 'estupro virtual'

Da Redação
10 de agosto de 2017 - 16h42
Suspeito obrigou vítima a enviar imagens íntimas para não divulgar fotos que tinha feito quando se relacionaram. É a primeira prisão do tipo no Brasil.

A polícia do Piauí prendeu recentemente um homem de 34 anos que é suspeito de ter cometido o crime de ‘estupro virtual’, segundo informações da Folha de S.Paulo. Essa seria a primeira prisão do Brasil por um crime desse tipo no ambiente virtual, conforme a Secretaria de Segurança Pública do Piauí. O suspeito, que é técnico em informática, está preso há cerca de uma semana na capital Teresina.

Ex-namorado da vítima, com quem se relacionou há cinco anos por cerca de duas semanas, o acusado criou um perfil falso em uma rede social e passou a chantageá-la sob a ameaça de divulgar na Internet imagens que tinha gravado da mulher nua enquanto ela dormia. Para isso, o homem obrigou a mulher a enviar novas imagens íntimas se masturbando com o uso de vibradores e de outros objetos.

Sem saber quem a estava chantageando, a mulher decidiu procurar a polícia, que, após obter uma ordem judicial, conseguiu descobrir o IP do computador do suspeito para chegar até a casa dele.

Responsável pelo caso, o delegado Daniell Pires Ferreira, da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, afirma que o crime se caracteriza como estupro, mesmo sem a presença física do agressor em questão. "É um estupro ocorrido em ambiente virtual. Ela foi ameaçada, foi constrangida mediante grave ameaça para manter ato libidinoso. Isso caracteriza o crime de estupro”, explica.

Com prisão provisória de 30 dias determinada pela Justiça, o suspeito confessou o crime para a polícia, mas alegou que estava apenas “brincando” com a vítima. Ele ainda disse que tinha ficado inconformado com o fim do relacionamento entre eles há cinco anos.

A polícia apreendeu o computador do suspeito, onde foram encontradas mais de 50 mil fotos de mulheres nuas, e agora investiga se o homem cometeu outros crimes virtuais similares.