YouTube anuncia novas medidas contra vídeos e conteúdos extremistas

Da Redação
19/06/2017 - 01h10
No total, plataforma adotará quatro passos novos contra compartilhamento e publicação de conteúdos ligados a grupos extremistas e de terrorismo.

O YouTube anunciou neste final de semana quatro novos passos para combater a publicação de vídeos e conteúdos extremistas na sua plataforma. As novas medidas foram reveladas em um texto opinativo do VP sênior do Google, Kent Walker, publicado no jornal americano Financial Times. 

No artigo, o executivo destaca também que a empresa vem trabalhando com outras empresas de tecnologia como Facebook e Twitter em novas ferramentas e também com autoridades e governos para identificar e remover esses conteúdos do serviço. 

O primeiro passo consiste em ampliar o uso de sistemas automatizados para identificar clipes relacionados a grupos terroristas e outros extremistas. Para isso, o YouTube diz irá “treinar novos ‘classificadores de conteúdo’ para nos ajudar a identificar e remover mais rapidamente tais conteúdos”, conforme explica Walker. 

A plataforma de vídeos também irá aumentar o número dos chamados Trusted Flagger, basicamente especialistas que possuem permissões especiais para revisar os conteúdos sinalizados por usuários do YouTube. Assim, as 63 organizações especializadas que já fazem parte do programa ganharão a companhia de outras 50 ONGs com conhecimentos avançados sobre tipos específicos de vídeos, como terrorismo e danos a si mesmo. 

O YouTube promete ainda adotar uma linha mais dura contra vídeos que não chegam a violar as diretrizes da sua comunidade, como clipes com conteúdos religiosos ou supremacista “inflamatórios”. Em vez de retirados do site, esses clipes terão um alerta antes de sua reprodução e não poderão gerar ganhos financeiros para os seus criadores por meio do YouTube.

Por fim, a quarta e última medida anunciada pelo Google tem uma abordagem focada em uma resposta mais direta a esses vídeos extremistas. Isso porque o YouTube irá impulsionar seu programa Creators for Change, que redireciona esses usuários que são alvos de grupos extremistas para vídeos anti-terrorismo que “podem mudar suas mentes”.