Estudantes perdem vagas em Harvard por memes ofensivos no Facebook

Da Redação
06/06/2017 - 16h25
Posts ofensivos compartilhados em grupos privados de mensagens na rede social teriam causado a expulsão de 10 calouros da universidade.

Pelo menos 10 calouros perderam suas vagas na universidade de Harvard, nos EUA, uma das mais prestigiadas e caras do mundo, no último mês de abril após a direção da instituição descobrir a participação dos estudantes na criação e publicação de memes preconceituosos e ofensivos em grupos no Facebook.

Segundo o jornal da universidade, o Harvard Crimson, que obteve screenshots dos memes, os posts ofensivos que causaram a expulsão dos estudantes faziam piadas com assuntos como o Holocausto, abuso infantil, assédio sexual e minorias – um dos memes chamada o hipotético enforcamento de uma criança mexicana de “piñata time”.

A reportagem do Crimson aponta ainda que esses memes eram compartilhados principalmente em um grupo privado de mensagens chamado “Harvard Memes For Horny Bourgeois Teens” (algo como “Memes de Harvard para Jovens Burgueses Excitados”).

Esse grupo de mensagens privado teria sido criado por alguns alunos que participavam de outro grupo no Facebook, chamado Harvard College Class of 2021, no Facebook, segundo revelou a estudante da turma Cassandra Luca em uma entrevista ao Crimson, sem ter nenhuma relação direta com a universidade.

“O Comitê de Admissões ficou desapontado em saber que vários estudantes em um grupo privado de mensagens para a Turma de 2021 enviaram mensagens que continuam mensagens ofensivas e explícitas”, afirma um e-mail obtido pelo Crimson que teria sido enviado pela universidade para os estudantes envolvidos no caso.

De acordo com o Crimson, a decisão de Harvard pela não aceitação dos calouros é final. A expulsão dos estudantes foi chamada de radical por algumas partes, que destacaram que tratava-se de um grupo privado na rede social e sem nenhum afiliação oficial com a universidade.