Mark Zuckerberg defende renda universal básica como resposta à automação

Da Redação
29/05/2017 - 17h56
Em discurso em Harvard, CEO do Facebook falou sobre como novas gerações terão de enfrentar milhões de empregos sendo substituídos por robôs

A ideia de uma renda universal básica como resposta à automação dos postos de trabalho também é apoiada pelo fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg.

Na última semana, Zuckerberg discursou às turmas de formandos de 2017 de Harvard, universidade da qual frequentou, porém não chegou a se formar. Em sua fala, o executivo fala sobre como novas gerações terão de lidar com dezenas de milhões de empregos sendo substituídos pela automação, como carros e caminhões autônomos. 

“Nós devemos explorar ideias como uma renda universal básica para garantir que todos tenham a possibilidade de testar novas ideias”, diz Zuckerberg. Com isso, diz o empresário, pessoas terão potencial para encontrar seus propósitos. “É a hora de nossa geração encontrar grandes trabalhos”, diz. Quando diz grandes trabalhos, Zuckerberg cita projetos como parar o aquecimento global, curar doenças, modernizar a democracia para que todos votem online.

Zuckerberg não é o primeiro alto executivo do Vale do Silício a apresentar o conceito de uma renda universal básica. Elon Musk, fundador e CEO da SpaceX e Tesla, também discursou a respeito do tema. No ano passado, em entrevista à CNBC, Musk disse que seria a “única saída” para sobreviver a dominação por robôs e inteligência artificial. 

“Há uma boa chance de que nós acabemos com uma renda básica universal ou alguma coisa semelhante, devido a automação”, disse Musk na entrevista.  

 Apesar de nunca ter concluído a universidade (Zuckerberg deixou Harvard em 2005 para se concentrar no desenvolvimento do Facebook), o fundador da rede social recebeu o diploma honorário da universidade nesta quinta-feira (25). 

Em seu perfil, o executivo publicou uma foto onde segura o diploma ao lado de seus pais e escreveu: "Mãe, eu sempre disse que voltaria para pegar o meu diploma".