Facebook e Google são vítimas em golpe de phishing de US$100 milhões

Da Redação
01/05/2017 - 13h04
Empresas confirmaram nesta semana que foram vítimas de fraude milionária, mas destacam que recuperaram a maior parte dos fundos roubados.

O Facebook e o Google foram vítimas de um golpe on-line que roubou mais de 100 milhões de dólares, segundo uma reportagem da Fortune.

 

O caso ganhou as manchetes originalmente em março, quando o Departamento de Justiça dos EUA anunciou a prisão do responsável pelo golpe milionário. No entanto, o órgão não revelou na época a identidade das vítimas nem a empresa asiática que foi usada como isca pelo criminoso.

 

Mas isso mudou agora com uma nova reportagem da Fortune, que entrevistou fontes próximas das autoridades que investigaram o caso, entre outras figuras.

 

O responsável pelo golpe é Evaldas Rimasauskas, homem de 40 anos da Lituânia, que criou em 2013 um esquema elaborado para fraudar empresas americanas de tecnologia.

 

Segundo o Departamento de Justiça, o criminoso teria forjado diversos dados e documentos para enganar as companhias, incluindo endereços de e-mail, recibos e selos corporativos.

 

Ao longo de dois anos, o golpista conseguiu enganar as empresas se fazendo passar pela Quanta, uma empresa taiwanesa criada em 1988 e que fornece componentes eletrônicos para diversas companhias de tecnologia, incluindo a Amazon e a Apple.

 

No fim de março, a Quanta chegou a reconhecer publicamente que teve seu nome usado pelo criminoso para enganar as empresas de tecnologia, mas não revelou mais detalhes na época.

 

Questionados pela Fortune, Facebook e Google confirmaram que foram vítimas da fraude milionária.

 

“O Facebook recuperou a maior parte dos fundos pouco após o incidente e vem cooperando com as autoridades nesta investigação”, afirmou a rede social em um comunicado sobre o assunto.

 

O Google seguiu pela mesma linha em sua mensagem sobre o caso. “Detectamos essa fraude contra nossa equipe de gerenciamento de parceiros e alertamos rapidamente as autoridades. Recuperamos o dinheiro e estamos satisfeitos com o caso ter sido resolvido.”