Governo dos EUA recua em pedido e Twitter retira processo

PC World / EUA
07 de abril de 2017 - 18h23
Bastou um dia para o serviço de Alfândega e Proteção de Fronteira dos EUA (CBP) desistir de um pedido polêmico de dados sobre um usuário da rede social.

O Twitter retirou o processo contra o governo dos EUA depois que o serviço de Alfândega e Proteção de Fronteira dos EUA (CBP) recuou em um pedido para que a empresa revelasse detalhes sobre o usuário de uma conta para a agência governamental.

O processo, que teve entrada nesta quinta-feira, 6/4, alegava que o órgão do governo estava abusando do seu poder investigativo. O serviço de Alfândega possui a habilidade de receber dados privados de usuários do Twitter quando investiga casos em áreas como importação ilegal de produtos, mas esse caso estava longe disso.

O alvo do pedido polêmico era a conta @alt_uscis, uma entre muitas contas alternativas que foram criadas no Twitter desde a posse de Donald Trump como presidente dos EUA em janeiro. Essas contas são críticas da nova administração americana e a maioria diz ser gerenciada por funcionários e ex-funcionários de diversas agências governamentais.

A investigação da agência do governo sobre quem criou a conta @alt_uscis levou ao pedido para que o Twitter identificasse o autor. A USCIS é o órgão de Serviços de Imigração e Cidadania dos EUA e faz parte do Departamento de Segurança Nacional dos EUA, juntametne com o serviço de Alfândega.

O Twitter disse que entrou com o processo  na Justiça após alertar o governo dos EUA que faria isso caso o pedido não fosse retirado. Nesta sexta-feira, 7/4, um dia após o Twitter cumprir sua ameaça (e o caso receber grande atenção da imprensa), o governo americano recuou e retirou o pedido.

“A velocidade com o que governo recuou no pedido mostra o quanto essa demanda era inconstitucional desde o início”, afirma o advogado da União Americana dos Direitos Civis, Esha Bhandari, que representou o Twitter no caso.