FBI indicia quatro, incluindo dois agentes russos, por hacking do Yahoo

Do IDG News Service
15/03/2017 - 18h34
Segundo o FBI, os quatro indiciados estão envolvidos em um ataque contra o Yahoo que afetou 500 milhões de contas de usuários

O Birô Federal de Investigação dos EUA (FBI) anunciou hoje (15/03) o indiciamento de quatro pessoas - incluindo dois agentes da inteligência russa - por envolvimento direto em um ataque massivo contra o Yahoo que afetou meio bilhão de contas de usuários.

O ataque teria ocorrido no final de 2014 mas só identificado e comunicado a público pelo Yahoo em setembro de 2016. Na época, a empresa anunciou que hackers pertencentes a um grupo patrocinado por um governo teriam roubado dados pessoais de mais de 500 milhões de usuários durante o ataque. Os dados incluíam nomes, endereços de email, números de telefones e senhas. 

Nesta quarta-feira, o FBI comunicou que o grupo é o Russian Federal Security Service (Serviço Federal de Segurança Russa),  o FSB, e identificou os agentes Dmitry Dokuchaev e Igor Sushchin como líderes do ataque. Os agentes russos teriam pago dois hackers criminosos, Alexsey Belan e Karim Baratov,  para invadir as contas do Yahoo e roubar informação que poderia ser usada depois para comprometer outras contas, segundo o FBI.

Três foragidos

Dos quatro indiciados, três continuam foragidos, mas o quarto criminoso, Baratov, foi preso no Canadá na terça-feira por meio de um mandado de prisão norte-americano. O outro hacker, Belan, já tinha sido indiciado duas vezes nos Estados Unidos. Os EUA pediram à Interpol que distribua alertas vermelhos contra os três foragidos, mas há o risco de que, se o governo russo não cooperar com as investigações, eles consigam ficar longe do alcance da lei internacional. 

O governo norte-americano vai lançar mão de vários instrumentos para capturar os criminosos, incluindo sanções diplomáticas e comerciais, como uma forma de pressionar ou punir a Rússia.

Os ataques tinham como meta primária capturar contas do Yahoo pertencentes especificamente a oficiais de governo russo e norte-americano, incluindo agentes relacionados a cibersegurança, jornalistas russos e empresas de serviços financeiros, segundo informações do FBI. No ataque, no entanto, também entraram contas de usuários regulares, possivelmente porque os criminosos procuravam por números de cartão de crédito e cartões de compra que pudessem transformar em dinheiro.

Inteligência

"O FSB usou hackers para capturar informações, parte delas com valor para a Inteligência. Mas ao fazer isso eles acabaram usando a oportunidade para também ganhar dinheiro para seus próprios bolsos"disse a assistente interina do procurador geral, Mary McCord, durante coletiva com jornalistas em Washington, D.C..

Esse hack é apenas um dos dois ataques gigantes sofridos pelo Yahoo. Um segundo ataque, revelado em dezembro de 2016, é ainda maior, tendo afetado um bilhão de contas de usuários. Os dados roubados são semelhantes aos do ataque russo, mas também incluem datas de nascimento. 

O estado de segurança da Rússia tem sido acusado por uma série de hacks, incluindo o ataque de alto nível contra o comitê eleitoral do Partido Democrata (DNC) dos EUA durante as eleições presidenciais norte-americanas. McCord disse que o indiciamento da quarta-feira não faz a ligação entre o hack do Yahoo e o hack do DNC.