Cientistas japoneses criam 'drone-abelha' para polinizar flores

Da Redação
10/02/2017 - 16h10
Drone conseguiu, com sucesso, polinizar lírios. Pesquisadores querem usar IA, câmeras e GPS para tornar futura geração de drones-abelha autônoma

Pesquisadores no Japão criaram um drone minúsculo cuja função é polinizar flores para ajudar ou, eventualmente, substituir abelhas.

As colônias de abelhas estão colapsando em todo o mundo. Pesquisadores acreditam que o declínio das espécies se deve às mudanças climáticas, pesticidas e doenças. 

E a notícia é bem ruim para a agricultura e economia tendo em vista que os insetos são responsáveis diretamente pela polinização de um terço da comida que consumimos. 

No ano passado, os Estados Unidos declararam sete espécies de abelhas hawaianas como ameaçadas de extinção. 

A abelha-robô, descrita em estudo publicado no jornal Chem, é feita de um drone equipado com pelo animal para imitar o corpo de uma abelha, sobre ele, os cientistas o cobriram com um gel pegajoso, que permite a eles pegar e soltar grãos de pólen. 
 
Por enquanto, a abelha robótica ainda está distante de polinizar qualquer coisa além do laboratório tendo em vista que a tecnologia ainda não é autônoma.
 

Controlada por dispositivo remoto, os pesquisadores aproximaram a abelha-drone a lírios japoneses. O drone conseguiu pegar o pólen da flor como um polinizador natural. Quando voava então para outra, ele liberava grãos de pólen, polinizando a planta com sucesso.

No futuro, os pesquisadores esperam usar inteligência artificial, GPS e câmeras em alta resolução para criar drones-abelhas completamente autônomos.