Alemanha quer que Facebook pague multa por notícias falsas publicadas

Da Redação
19/12/2016 - 16h36
Multa poderia superar 500 mil euros caso companhia não remova conteúdo ofensivo ou falso da rede em 24 horas

O Facebook tem quebrado a cabeça e concentrado esforços para impedir o compartilhamento de notícias falsas na rede social. Na semana passada, a companhia anunciou planos mais concretos para tais fins, que envolvem parcerias com instituições que apuram notícias. 

No entanto, a Alemanha demonstra acreditar que tais esforços não são suficientes. Segundo reportagem do The Guardian, o governo de Angela Merkel segue com propostas que forcem companhias como o Facebook e motores de busca como o Google a oficializar medidas que impeçam o compartilhamento de artigos falsos, discursos de ódio e ofensivos. Entre as medidas sugeridas pelo governo estão a criação de canais para registro de queixas e contratação de funcionários qualificados para lidar com tais demandas. 

Caso tais empresas falhem em tirar tais conteúdos de circulação em 24 horas, elas poderiam encarar multas no valor de cerca de 500 mil euros para cada notícia falsa publicada e compartilhada. 
 
A reportagem ainda ressalta a preocupação da Alemanha uma vez que encara novas eleições no ano que vem. Notícias falsas com potencial em viralizar na rede poderiam influenciar o resultado das eleições.  

"Se depois das verificações o Facebook não excluir o post ofensivo dentro de 24 horas, então [ele] deve contar com penas severas de até 500 mil euros", disse Thomas Oppermann em entrevista à revista alemã Der Spiegel. Oppermann é chefe do Partido Social Democrata.

Ministérios também estão preparando a exigência de multas que fariam o Facebook e empresas da mesma área a compensarem pessoas que foram afetadas por histórias difamatórias ou falsas.  

No entanto, vale ressaltar que o Facebook é uma empresa sediada nos Estados Unidos, e não está claro como a Alemanha teria qualquer recurso na cobrança das multas, ao menos que o país ameaçasse fechar a rede social em todo o país.