Bradesco busca startups brasileiras para 3ª edição do inovaBra

Da Redação
26 de outubro de 2016 - 10h00
Programa de aceleração do banco selecionará até 10 startups com soluções inovadoras voltadas para o setor financeiro
O Bradesco lançou a terceira edição do inovaBra, programa com foco em startups que tenham soluções voltadas para o setor financeiro. Interessados têm até o dia 4 de dezembro para se inscreverem pelo site.  
 
Até então, 20 startups já passaram pelo inovaBra. “Consideramos um sucesso as duas primeiras edições, tanto no número de inscritos como na qualidade das soluções apresentadas”, diz Marcelo Frontini, diretor de Inovação do Bradesco. “Esse modelo de negócio se consolidou dentro do Bradesco e está conquistando cada vez mais espaço no mercado brasileiro. Ao longo desses dois anos, tivemos uma boa experiência de aprendizado, tanto para o Banco como para as startups”, completa Frontini. 
 
O inovaBra dá às startups a oportunidade de testarem suas soluções com clientes reais. O objetivo é estabelecer parcerias para acelerar o processo de entrega de experiências inovadoras aos clientes e oferecer como contrapartida a possibilidade dessas startups escalarem seus negócios rapidamente, facilitando acesso aos 69 milhões de clientes do banco. 
 
Interessados devem apresentar projetos de startups em qualquer segmento que tenham soluções aplicáveis ou com possibilidade de adaptação ao segmento financeiro, principalmente relacionados a produtos e serviços, varejo, canais digitais, meios de pagamento, seguros, e que enderecem desafios nos seguintes temas: pagamentos, algoritmos, segurança, engajamento de clientes, gerenciamento financeiro, plataformas de investimentos, crowdfunding, customização massificada, IOT, blockchain e inteligência artificial. 
 
O Banco também fará uma série de road shows pelo País, de forma presencial e a distância. Durante essas reuniões, as startups podem tirar dúvidas e fazer seu primeiro contato com executivos do Bradesco. 
 
Cerca de 10 empresas poderão seguir para a fase de concepção do projeto, na qual receberão orientação com relação a uma demanda associada a uma necessidade real do Banco. As startups selecionadas terão apoio no desenvolvimento do produto ou serviço e adaptação da solução ao ambiente do Bradesco. Ao final, as empresas terão a possibilidade de comercializar seus produtos para o banco, que, por sua vez, poderá ainda ser um investidor dessas startups.
 
Neste ano, o Bradesco também reforçou seus planos de aproximar de startups ao lançar o inovaBra Ventures, fundo de investimentos em startups, no modelo de corporate venture, com R$ 100 milhões de capital proprietário.