Streaming de música superou downloads pela primeira vez em 2015

Da Redação
23 de março de 2016 - 11h38
Com ajuda de apps como Spotify e Apple Music, segmento foi ponto fora da curva e gerou mais de US$1 bilhão em receita nos EUA, segundo a associação RIAA.

O streaming de música agora é responsável pelo maior parte dos rendimentos da indústria fonográfica dos EUA, onde gerou cerca de 2,4 bilhões de dólares em 2015, segundo o mais recente relatório da RIAA (Associação da Indústria de Gravação dos EUA).

Com isso, o streaming de música, popularizado por plataformas como Spotify, Deezer e mais recentemente Apple Music, superou os downloads digitais pela primeira vez na história.

Em meio a quedas das vendas físicas e dos downloads digitais, o bom resultado do setor de streaming também ajudou a indústria fonográfica a voltar a crescer em 2015, ainda que ligeiramente. No ano passado, o setor registrou 7 bilhões de dólares em vendas, número 0,9% maior do que o registrado na temporada anterior.

“Em 2015, os serviços de assinatura de música digital atingiram novos ápices, gerando mais de 1 bilhão de dólares em receita pela primeira vez, e registrando cerca de 11 milhões de assinaturas pagas no ano”, afirmou o CEO da RIAA, Cary Sherman, em um comunicado sobre o assunto.

 

Para 2016, a previsão da RIAA é que o setor de streaming continue crescendo e supere a marca de 13 milhões de assinantes pagos.