Apple encara 12 pedidos da Justiça dos EUA para desbloquear iPhones

IDG News Service
23/02/2016 - 18h02
Pedidos são similares ao do FBI para criar brecha na criptografia do iPhone 5c, no caso do ataque terrorista de San Bernardino

A recusa da Apple em ajudar o FBI a obter acesso ao iPhone 5c de um dos autores do ataque terrorista de San Bernardino é a mais conhecida, mas a companhia também está resistindo a outras 12 ordens judiciais semelhantes. 

O Wall Street Journal reportou que o Departamento de Justiça está tentando compelir a Apple a ajudar a “quebrar” iPhones em doze casos que são todos baseados na mesma lei usada no caso de San Bernardino. Os detalhes ainda não estão claros, por que não foram a público, mas as fontes do WSJ disseram que eles não têm nada a ver com terrorismo. 

Muitos dos aparelhos nesses casos são também diferentes do iPhone 5c, por que eles rodam versões mais antigas do iOS que não são criptografadas por uma senha. 

Por que isso importa

O fato da Apple estar encarando na justiça pedidos similares, isso dá a companhia crédito no argumento de que caso acate o pedido do FBI, ela terá de acatar os outros, algo que prejudicaria a privacidade de seus clientes. 

Por sua vez, o Departamento de Justiça e o FBI dizem que a ordem judicial de San Bernardino só se aplica nesse caso específico e que a Apple seria capaz de supervisionar o processo e destruir qualquer software modificado criado para abrir o iPhone. Mas a Apple não tem comprado esse argumento.

“O FBI pode usar qualquer termo diferente para descrever essa ferramenta, mas não se engane. Construir uma versão do iOS que supere a segurança dessa forma criaria uma brecha”, disse o CEO Tim Cook em carta aberta publicada na semana passada. 

“E enquanto o governo possa argumentar que a usaria somente nesse caso, não há nenhuma garantia de tal controle”, completou.