Startup Marmotex mira em empresas para mudar o conceito de marmitas

Por Carla Matsu
11 de fevereiro de 2016 - 10h00
Criada por brasileiros, marketplace que une restaurantes a consumidores entrega pratos a escritórios de São Paulo

Peter Chun e Clayton Oliveira, sócios-fundadores da startup Marmotex, acreditam que o horário de almoço deve ser melhor aproveitado e uma das melhores saídas para isso se encontra diretamente no prato ou na escolha dele.

“Queremos democratizar o acesso a uma comida boa no escritório. Dar o melhor valor para o cliente final para que ele possa usar o restante de seu vale refeição, por exemplo, da forma como ele quiser”, explica Peter Chun em entrevista ao IDG Now!

Ao criar a Marmotex, os dois empreendedores adicionaram tecnologia e design à tradicional marmita e com um foco exclusivo: o almoço corporativo. 

Em resumo, a startup é um marketplace que une restaurantes a consumidores. Segundo seus fundadores, a proposta de alimentação na própria empresa tem como objetivo criar uma cultura interativa no ambiente de trabalho, onde colegas possam usar o horário de almoço para socializar. Ao oferecer um serviço que permite sistematizar os pedidos, funcionários não perdem tempo, por exemplo, em decidir onde comer. O que, convenhamos, pode levar a discussões acaloradas ou, na melhor das hipóteses, dispersão da turma. 

Como funciona

Por meio do site ou aplicativo, usuários podem criar um grupo ou participar de um já existente, no caso a empresa onde trabalham. Nós, da redação do IDG Now, testamos o serviço e todo o processo é bem prático. Para se cadastrar, você pode fazê-lo via Facebook ou criar uma conta, informando e-mail e senha. 

O cadastro é gratuito e o pagamento é feito mensalmente e individualmente através do cartão de crédito cadastrado. Os pedidos são entregues em horário agendado pelo grupo. 

Para escolher seu prato, basta acessar o menu do dia e optar por um deles. Há variedades a partir de R$ 15 até pratos mais elaborados por R$ 34. Não há taxa de entrega. Chun ressalta que o valor médio da Marmotex gera economia para o cliente final, uma vez que o valor do ticket médio da região onde a companhia atende - Vila Olímpia, Berrini e Avenida Faria Lima, bairros da capital paulista – é de R$ 30.

Até então, a startup conta com dez restaurantes parceiros, todos dentro do perímetro que a empresa atende. Para a Marmotex, fica uma comissão de cada pedido. Também fica a cargo da companhia fazer toda a logística de entrega a tempo. Segundo Chun, uma das previsões é usar o aplicativo Uber para realizar entregas, quando o volume de pedidos for muito alto. “Como o pagamento não é feito para o motorista, o serviço é ágil e poderia ser feito por um terceiro”, explica. 

A expectativa da startup é firmar novas parcerias com restaurantes e expandir a área de entrega e, consequentemente, aumentar o número de pedidos por dia. Atualmente, são entregues cerca de 30 refeições ao dia com a meta de chegar a 100 delas no próximo mês.

Todos os pratos vêm acompanhados de uma embalagem segura com talheres e guardanapo. E, talvez um dos itens mais importantes, eles vêm quentinhos.

Segundo Chun, a startup agora está em vias de concretizar um investimento que será essencial para a expansão e consolidação do negócio.