Maior usina solar do mundo oferecerá energia para 1,1 milhão de pessoas

Da Redação, com IDG News Service
10 de fevereiro de 2016 - 11h39
Agência Internacional de Energia estima que até 11% da geração de eletricidade do mundo em 2050 possa vir da nova usina que está sendo instalada em Marrocos
A maior usina solar do mundo está instalada em Marrocos e, eventualmente, conseguirá oferecer energia a 1,1 milhão de pessoas, além de cortar 760 mil toneladas de emissões de carbono ao ano. 
 
A Noor Concentrated Solar Power (CSP) de US$ 9 bilhões poderá, eventualmente, exportar energia para o mercado europeu. O projeto contou com fundos aprovados pelo Banco Mundial e começou a ser operado na última quinta-feira. 
 
Enquanto o Banco Mundial e outros parceiros internacionais forneceram o suporte financeiro, a usina é um projeto inteiramente marroquino. “Com esse ousado passo em direção a uma energia limpa do futuro, Marrocos se torna pioneira no desenvolvimento de uma tecnologia solar de ponta”, disse Marie Francoise Marie-Nelly, Country Director para o Banco Mundial em Magrebe. 
 
De forma geral, a nova usina aumentará a independência de energia do Marrocos e criará 1.600 empregos durante a construção e 200 empregos durante a operação e aumentará a capacidade de estações solares de 22MW em 2013 para 522MW em 2018, de acordo com o Banco Mundial. 
 
A planta conseguirá armazenar energia solar na forma de sal fundido aquecido, o que permite a produção de energia eléctrica, mesmo durante a noite. 
 
Atualmente, a Noor CSP pode gerar 160 megawatts (MW). Mas com fases adicionais concluídas, em dois anos é esperado gerar mais de 500 MW - energia suficiente para atender às necessidades de 1,1 milhão de marroquinos. 
 
Para a segunda fase 2 (plantas 2 e 3), que deve inaugurar em 2017 e 2018, a usina irá armazenar energia por até oito horas. Ao todo, a Noor CSP vai cobrir uma área de 6.178 acres. 
 
A Agência Internacional de Energia estima que até 11% da geração de eletricidade do mundo em 2050 possa vir de CSP. O objetivo de Marrocos é ter 42% de sua energia venha de fontes renováveis até 2020.