Netflix fecha o cerco contra uso de VPNs para ver acervo de outros países

Da Redação
14 de janeiro de 2016 - 16h34
Prática comum de usar serviços de proxies e VPNs para assistir conteúdos de outras regiões do mundo entrou na mira da plataforma, que agora é global.

O Netflix afirmou nesta quinta-feira, 14/1, que vai adotar novas medidas para impedir que os usuários assistam conteúdos disponíveis apenas em outros países pela plataforma. Muita gente costuma usar serviços de VPN e proxy para burlar as restrições de conteúdo locais da plataforma de streaming.

“Nas próximas semanas, quem usa proxies e unlockers só conseguirá o serviço no país em que está no momento. Estamos confiantes que essa mudança não vai impactar os assinantes que não usam proxies”, afirmou o VP de arquitetura de entrega de conteúdo da empresa, David Fullagar.

A empresa, que recentemente expandiu seu serviço globalmente e agora está disponível em mais de 190 países, também reconheceu que precisa melhorar a questão de distribuição do seu catálogo.

“Precisamos fazer algumas coisas antes de poder oferecer para as pessoas os mesmos filmes e séries em qualquer lugar”, afirmou o executivo, destacando que o Netflix está trabalhando para conseguir isso. “Enquanto isso, vamos continuar respeitando e reforçando o licenciamento de conteúdo por localização geográfica.”

As produções originais do Netflix, como filmes, séries e documentários, em breve estarão disponíveis globalmente a partir do dia de lançamento. No entanto, os programas de TV e filmes licenciados com certeza representarão um desafio e tanto para a empresa.

Vale destacar que o Netflix não especificou os seus novos métodos para conseguir detectar proxies e barrar a prática pelos usuários.