Facebook ampliará uso de ferramenta de segurança após ataques em Paris

PC World / EUA
16/11/2015 - 13h04
Rede social foi criticada por não habilitar o recurso Verificação de Segurança em outros locais alvos de ataques terroristas, como Beirute.

A ferramenta de Verificação de Segurança (Safety Check) do Facebook, que ajuda os usuários a alertarem seus amigos sobre sua segurança, foi usada pela primeira vez após um ataque terrorista na sexta-feira, 13/11, após os ataques do Estados Islâmico em Paris, na França.

Apesar de muita gente ter elogiado a iniciativa, outras tantas fizeram críticas contra a rede social, dizendo que ela foi parcial por não ter ativado o mesmo recurso em outros locais atingidos recentemente por ataques terroristas, como Beirute.

A empresa de Mark Zuckerberg também foi criticada por lançar um filtro de foto que permitia aos usuários mostrarem suporte aos moradores de Paris usando as cores da bandeira da França nas suas fotos de perfis. Algumas pessoas acusaram o Facebook de adotar o famoso “dois pesos, duas medidas” por não liberar um filtro parecido após os ataques em Beirute e outros lugares.

Após essa polêmica, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, assegurou aos usuários que a ferramenta de segurança será acionada mais frequentemente no futuro durante outros desastres. “Muitas pessoas corretamente questionaram por que habilitamos a Verificação de Segurança para Paris, mas não para os ataques em Beirute e outros locais”, afirmou Zuckerberg em sua página na rede social.

A ferramenta de Verificação de Segurança pergunta aos usuários que acredita estarem em locais de emergência se eles estão segudos e permite que eles informem aos amigos clicando em um botão. As pessoas também podem verificar sobre usuários que elas acreditam que possam estar em uma área de emergência. A ferramenta foi usada pela primeira em uma “versão muito inicial” durante o Tsunami de 2011 no Japão.