Surpresa: Adobe Flash é um dos alvos favoritos dos hackers

PC World / EUA
09 de novembro de 2015 - 15h15
Segundo relatório de empresa de segurança, plugin da Adobe é altamente visado por cibercriminosos. Apple e Facebook já criticaram tecnologia.

O plugin Adobe Flash é bastante criticado por especialistas em segurança nos dias atuais. E um novo estudo liberado nesta segunda-feira, 9/11, mostra o quanto é visado pelos cibercriminosos na hora de ataques.

O Flash apareceu em mais de 100 kits exploração (exploit kits), que são frameworks plantados em páginas web que automaticamente busca vulnerabilidades de software quando um usuário navega até uma página.

As pessoas que desenvolvem exploit kits costumam ser contratadas para ajudar a distribuir tipos específicos de malware.

Das 10 principais vulnerabilidades encontradas nos kits de exploração, 8 delas eram direcionadas ao Adobe Flash, que é usado em milhões de computadores para reproduzir conteúdo multimídia, de acordo com a empresa de inteligência em cibersegurança Recorded Future.

Para chegar a essas conclusões, a companhia analisou vulnerabilidades que são conhecidas por serem usadas em exploit kits populares como Angler, Neutrino e Nuclear Pack, assim como fóruns de cibercrime, entre janeiro e setembro deste ano.

Ecoando as conclusões de muitos outros especialistas em segurança, a Recorded Future disse que as descobertas colocam “em questão o lugar do Flash em um ambiente operacional seguro”.

“Apesar de o papel das vulnerabilidades do Adobe Flash como uma entrada comum para criminosos e malware não ser nenhuma surpresa para profissionais de segurança da informação, a escala é significativa”, aponta o relatório.

A Adobe vem trabalhando há anos para tornar o Flash mais seguro por meio de revisões de códigos, mas essa tarefa tem se provado algo grandioso para uma aplicação que já tem quase duas décadas de história.