Mozilla lança recurso que mantém privado histórico de navegação

IDG News Service
03 de novembro de 2015 - 17h57
Private Browsing acrescenta camada extra de privacidade ao bloquear código incorporado em sites que rastreiam a forma como pessoas se comportam na Internet

Usuários do Firefox que desejam esconder melhor seus hábitos de navegação agora contam com uma nova ferramenta para isso. Nesta terça-feira (3), a Mozilla lançou o recurso Private Browsing com Proteção de Rastreamento (Tracking Protection) em seu último browser.

Trata-se de um aprimoramento para o modo de navegação privada do Firefox, que deletava o histórico de navegação e cookies depois que usuários fechavam uma janela anônima. Agora, o Tracking Protection acrescenta uma camada extra de privacidade ao bloquear o código incorporado em sites que rastreiam a forma como pessoas se comportam na Internet. 

Isso também significa que o recurso bloqueará uma série de anúncios, junto com ferramentas de analytics e alguns botões de compartilhamento de redes sociais com o objetivo de ajudar usuários a manterem seus hábitos de navegação mais discretos.

A abordagem resolve um dos principais problemas com modos de navegação anônima que browsers como Firefox, Chrome e outros levaram no passado: enquanto eles podem manter o histórico de navegação do usuário em segredo para outras pessoas que acessam seu computador, recursos de rastreamento dos sites ainda eram capazes de manter o controle sobre eles.

Porém, a mudança não é uma boa notícia para empresas que confiam em publicidade baseadas no rastreamento. Apesar de usuários do Firefox serem apenas uma pequena parte de todos os usuários de navegadores - e usuários de navegadores anônimos serem uma porcentagem menor – o novo recurso indica que eles não ganharão com anúncios que não serão mostrados a pessoas que usam o Tracking Protection.

A novidade integra os esforços da Mozilla (através Firefox) para fornecer ferramentas a usuários que queiram reduzir o rastreamento de seus hábitos de navegação. Segundo a companhia, a ideia não é eliminar a publicidade na Web. 

Vale ressaltar que pessoas que usarem o recurso não manterão seu histórico de navegação completamente privados. Operadoras de Internet e administradoras de rede ainda conseguirão ver o que usuários fazem, por exemplo. 

Recursos como esse podem renovar o interesse no Firefox em uma época que o browser está perdendo espaço para o Google Chrome.