Netflix fatura R$500 milhões no Brasil e é chamado de "Uber da TV"

Da Redação
10/08/2015 - 11h33
Segundo reportagem do UOL, plataforma vem assustando executivos de TV por assinatura, que reclamam de concorrência desleal. Empresa opera desde 2011 no país.

Lançado no Brasil em agosto de 2011, o Netflix já registra números de respeito no país, seu quarto mercado no mundo, atrás apenas de EUA, Canadá e Reino Unido.

De acordo com informações do jornalista especializado Daniel Castro, do UOL, o serviço de streaming possui pelo menos 2,5 milhões de assinantes no Brasil, o que representa um faturamento de aproximadamente 500 milhões de reais por aqui em 2015.

Esse número superaria os rendimentos de algumas das maiores TVs abertas brasileiras, como Band e Rede TV!, aponta o site.

Por isso, o Netflix já vem deixando as empresas de TV por assinatura do Brasil um pouco assustadas. Segundo a reportagem, inclusive, executivos dessas TVs acusam o Netflix de concorrência desleal e até chamam a plataforma de Uber do audiovisual – a principal acusação é de que o serviço de Reed Hastings levaria vantagem por ter uma carga menor de impostos.

Com cerca de 65 milhões de assinantes no mundo todo, o Netflix não revela quantos usuários possui no Brasil. Segundo um levantamento recente da consultoria eMarketer, o Netflix tinha aproximadamente 2,2 milhões de assinantes no país em setembro de 2014. Por isso, a estimativa de 2,5 milhões de assinantes por aqui é até considerada um pouco conservadora por alguns especialistas da área.

Na última semana, o presidente da Ancine, Manoel Rangel, falou sobre o Netflix na feita ABTA e prometeu regulamentar o serviço da empresa americana. A ideia é tentar enquadrar a companhia dentro das mesmas regras das TVs por assinatura, que possuem uma cota de produções nacionais para exibir, por exemplo.

Na mesma ABTA, Manoel Rangel, presidente da Ancine, prometeu regulamentar o serviço prestado pela Netflix. Já a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) foi menos otimista e admitiu ter dificuldade em enquadrar as OTTs sob as mesmas regras das operadoras de TV por assinatura.

Vale notar que recentemente o Netflix anunciou a sua primeira série original feita no Brasil. Chamada de 3%, a produção de ficção científica será dirigida por Cesar Charlone (Cidade de Deus) e estreia na plataforma até o final de 2016.