Tecnologias digitais contam em tempo real a história do terremoto no Haiti

IDG News Service
13/01/2010 - 16h39
Com os problemas nos serviços de telefonia, Twitter, Facebook, blogs e Skype permitem saber rapidamente situação no país.

Diante do terremoto que provocou uma catástrofe no Haiti na terça-feira (13/1), a internet exerceu um papel fundamental ao  permitir a comunicação em tempo real do país com o resto do mundo. Abaixo, temos alguns exemplos de como as ferramentas digitais contribuíram para manter o mundo informado sobre a tragédia que acometeu o país.

Twitter
O microblog foi uma ferramenta-chave na distribuição de imagens e informações do Haiti. As fotos enviadas pelo Twitpic e outros serviços baseados no microblog circulavam pela internet muito antes das agências de notícias terem tempo de produzir algo similar.

E, conforme os oficiais do Haiti passavam informações sobre os acontecimentos, depoimentos de haitianos proliferavam pela twittosfera e permitiam um melhor entendimento a respeito da situação. 

A apresentadora de rádio e televisão Carel Pedre foi uma das principais figuras que utilizaram o Twitter para se comunicar com o mundo a fora. “A DIGICEL ESTÁ FUNCIONANDO! LIGUE PARA A SUA FAMÍLIA AGORA!!”, tuitou Pedre na manhã desta quarta-feira (13/1) .

Blogs
Um blog hospedado no Wordpress chamado Haitifeed também distribui informações em tempo real para todo o mundo. Relatos de cidadãos-jornalistas também são publicados no iReport, da CNN.

Facebook
Na rede social, um grupo chamado Earthquake Haiti já tem mais de 14 mil membros. Ele é usado para oferecer auxílio e trocar relatos, mas há também usuários que divulgam informações críticas, incluindo pedidos de ajuda a haitianos feridos.

Skype
Com as dificuldades nos sistemas de telefonia, as pessoas recorreram aos recursos de voz sobre IP para se comunicar com a mídia, organizações de apoio ou parentes por todo o mundo.

Uma organização missionária que trabalha no Haiti se valeu do Skype para manter contato com seus integrantes e, assim, ter uma noção da devastação. Pedre também usou o Skype para divulgar relatos em primeira mão para a CBS News e outras organizações da mídia.

(Ian Paul)