Google confirma browser de código aberto batizado de Chrome

IDG News Service/EUA
01/09/2008 - 20h10
São Francisco – Após quadrinho explicativo vazar para blog, Google confirma entrada no setor com navegador de código aberto chamado Chrome.

destaque_88O Google vai lançar nesta terça-feira (02/09) a versão beta do seu navegador de código aberto batizado de Chrome em mais de 100 países, confirmou a companhia em seu blog.

O navegador de código aberto, chamado Chrome, apareceu pela primeira vez no blog Blogoscoped, no formato de uma revista em quadrinhos.

Mais sobre o browser do Google:
> Chrome: a 3ª guerra dos navegadores
> Google lança Chrome no Brasil
> Conheça os recursos do Google Chrome
> Screenshots do Google Chrome
> Microsoft: concorrência é positiva
> Download do Google Chrome
> Análise: Google desafia Microsoft
> Quadrinhos revelam browser do Google
> Enquete: por que você usaria o Chrome?
> Mozilla: browser do Google não é surpresa

"Como vocês leram na blogosfera, nós demos um 'enviar' antes da hora no quadrinho introduzindo nosso novo navegador de código aberto, o Google Chrome", afirmou a companhia oficialmente em post assinado pelo vice-presidente de gerenciamento de produtos Sundar Pichai e pelo diretor de engenharia Linus Upson.

> Debata o Chrome no grupo do IDG Now! no Orkut

A janela do navegador é "ágil e simples", afirmaram, descrevendo em palavras o que pode ser visto no quadrinho publicado pelo Blogoscoped e oficializado pelo Google.

"Para a maioria das pessoas, não é o navegador que interessa. (O navegador) é apenas uma ferramenta para rodar coisas importantes - páginas, sites e aplicações que compõem a internet. Como a página clássica do Google, o Chrome é rápido e limpo", afirmam.

O Chrome rodará aplicações online "muito melhor", escreveram, com abas que mantêm isoladas "sandboxes" que deverão prevenir que "uma aba abra na outra e ofereça melhor proteção contra sites maliciosos".

O Chrome é também mais veloz e com resposta melhor que seus rivais, e conta com um novo engine de JavaScript, o V8, que está por trás de aplicações online de próxima geração ainda não suportadas pelos atuais navegadores, segundo o post.

Componentes do WebKit, da Apple, e do Firefox, da Mozilla, são parte do Chrome, alega o Google.