Cinco dicas para conseguir se recolocar no mercado de trabalho

Dan Cobb, COMPUTERWORLD/EUA
02/04/2012 - 12h44
O desânimo é um dos maiores inimigos para reconquistar uma posição. Busca por nova colocação deve tomar tanto tempo quanto um trabalho normal.

Em todo o mundo, as atividades de fusão e aquisição cresceram 22% no quatro trimestre de 2011, aponta o IntraLinks Deal Flow Indicator (DFI), índice calculado pela Intralinks, provedora de soluções de software como serviço (SaaS). No Brasil, o volume de negócios no período obteve alta de 32% em relação ao quarto trimestre de 2010.

Inúmeros profissionais ainda vivem o drama de ver departamentos inteiros serem reestruturados. Como reultado desses processo é comum profissionais com cargos executivos serem dispensados.

Para os especialistas em recursos humanos, a primeira regra diante da possibilidade de cortes é que o executivo esteja preparado para encarar o medo e sem ter que esconder-se. Mais do que entrar nas estatísticas de desemprego no Brasil, o profissional deve ser ágil ao encarar a situação como um planejamento de carreira, buscando contatos, cursos, outplacement, ou avaliando a abertura de um negócio próprio.

Não é o momento de tirar férias, mas uma oportunidade de encarar a carreira. E essa busca pela nova colocação no mercado deve tomar tanto tempo quanto um trabalho normal. Manter a serenidade é fundamental, mas com foco no novo emprego.

Veja cinco dicas de como conquistar uma nova vaga rapidamente.


1- Faça da procura por uma vaga seu novo trabalho em tempo integral
O profissional pode não estar empregado momentaneamente, mas tem um trabalho, que é encontrar uma vaga no mercado. Se ele encarar os primeiros meses de desemprego como férias, corre o sério risco de perder um tempo precioso. E voltar a procurar um emprego depois dessas “férias” vai ser ainda mais difícil.

Quando o profissional inicia a procura de uma nova posição imediatamente, ele está preparado para a oportunidade certa quando esta surgir. Sua disponibilidade aparecerá nas entrevistas, desde a forma como apresenta o currículo à maneira como se comporta durante um escrutínio. Se o profissional tiver habilidade de negociação, esta também estará afiada.

2- Mantenha o pique
Ser demitido nos dias de hoje pode trazer o pânico para a vida de um profissional e é exatamente por isso que é necessário manter as prioridades em ordem para manter o pique. Só assim é possível ganhar motivação para voltar ao mercado com a vontade que necessária.

Profissionalmente falando, a demissão pode ser uma benção. Principalmente se a empresa anterior era do tipo que entediava ou enraivecia com suas políticas. Pode ser o momento de aproveitar para encontrar uma posição que ofereça novos desafios e oportunidade de crescimento.

3- Eficiência no Networking
É o momento de voltar a entrar em contato com todos que você conhece, mesmo que pareça desconfortável revelar a situação de desemprego. Aliás, esconder isso é um grande erro. Todo mundo sabe que o mundo está sujeito a intempéries e o demitido é apenas um em um milhão. O melhor é dizer a todos, pois qualquer pessoa pode ter algum contato importante para oferecer.

Além disso, manter sua rede de contatos na internet pode ser uma forma excelente de reconquistar uma posição. A Web já é o meio preferencial no qual empregadores procuram profissionais. Mas é bom tomar cuidado para que essas redes não prejudiquem o profissional. Nada de fotos comprometedoras ou textos com detalhes particulares que não sejam motivo de orgulho.

4- Consultoria é uma alternativa
O profissional que sai de um posto de trabalho em tempo integral costuma rechaçar consultorias pela idéia de não-permanência. Mas é uma opção a ser considerada. Não é incomum que consultores fiquem cinco anos ou mais em uma companhia. São anos de pagamentos e benefícios de um emprego em tempo integral. Além disso, o consultor sempre pode mirar em uma posição permanente em uma organização.

A consultoria traz outros benefícios: flexibilidade, possibilidade de escolher com quais projetos trabalhar, atualização constante das competências profissionais. Em último caso, pode ser uma opção para manter a renda enquanto não surge uma vaga definitiva.

5- Qualifique-se
Se o profissional sempre teve aspirações de atingir um alto status em qualificação em tecnologia da informação, mas nunca conseguiu ter tempo para chegar ao nível desejado, o momento do desemprego pode ser a hora perfeita. Enquanto procura emprego, você pode correr atrás de obter um MBA ou outro tipo de educação que o qualifique para um posto executivo. Desta forma, quando a economia se ajustar, terá pontos extras na briga por uma vaga.