Plural

Buscadores favorecem a pirataria e confundem usuários

Por Alexandre Peccin

Não só no Brasil, mas em todas as partes do mundo, muito se fala sobre a segurança na informação de dados, ao mesmo tempo em que a produção de conteúdo aumenta vertiginosamente a cada dia. Com acesso a qualquer tipo de informação, o usuário é envolvido de forma instantânea ao que está ocorrendo naquele exato momento, seja onde for. No entanto, até que ponto todo esse conteúdo é de qualidade? Até que ponto essa produção em massa é segura?

Uma fria analise demonstra que boa parte do conteúdo disponível na internet é irrelevante e, até mesmo, falso, o que pode gerar resultados negativos para usuário sem que ele saiba. São inúmeros os casos de pessoas que sofrem com as “pegadinhas” da internet. Recente estudo feito pela TeleSign aponta que 40% dos usuários da rede mundial já tiveram problemas de segurança na web.

Outro grande problema está para aqueles que produzem conteúdo de qualidade. Com a exigência cada vez maior por parte do público, é preciso investir em qualidade e material humano para se produzir um conteúdo atrativo ao usuário. Mas como fazer isso sem ser roubado por piratas de internet?

pirate_flag
Os segmentos que mais sofrem com essa problemática são os produtores de cinema, de música e conteúdo adulto. Ai fica a dúvida, como oferecer um conteúdo desses de forma profissional aos usuários se quando colocamos nos buscadores como o Google, Yahoo, Bing, etc.. algo relacionado a esses nichos, principalmente o adulto, às imagens que aparecem na maioria das vezes são aquelas pornográficas, sem relação alguma com o que usuário busca. Uma das alternativas encontrada por profissionais da área é desindexação por parte dos buscadores como o Google de conteúdo irrelevante, para que se tenha uma entrega pautada por qualidade e não quantidade.

Como exemplo podemos citar o caso do Bella da Semana. O  usuário entra no Google e coloca o nome de uma modelo que o site lançou e que não era conhecida anteriormente nem tem fotos em outros sites, e o que o Google mostra na maioria dos links que aparecem por primeiro na pesquisa são os sites pornográficos piratas que roubaram o conteúdo do Bella da Semana e de outros sites e revistas, e inclusive fotos íntimas roubadas do computador e celulares das pessoas. Ou seja a pirataria é o que mais se destaca na busca.

O mesmo ocorre para músicas e filmes, se você colocar no Google “filme Titanic” 90% dos primeiros resultados são sites piratas que roubaram este filme e oferecem o mesmo de graça ao usuário.

Além disto muitas vezes você digita o nome de uma pessoa qualquer ou até outro assunto e nos resultados aparecem pessoas nuas ou fazendo sexo.

Quer um outro exemplo? Faça uma busca na internet como Carolina Dieckmann nua. Ai aparecem centenas de sites que mostrando as fotos roubadas do celular dela e que até hoje ela não conseguiu tirar da internet.

Quando as pessoas acessam estes sites sugeridos pelo Google, Yahoo, Bing elas correm o risco de seu computador ou celular pegar vírus ou spyware assim como aconteceu com Marcela Temer esposa do Presidente do Brasil, que teve suas fotos e diálogos roubados de seu celular.

Ai pergunto e se estas fotos fossem suas o que você faria?

Em países da Europa, por exemplo, já existem formas de tentar erradicar esse problema. O chamado “Direito ao Esquecimento” dá aos cidadãos europeus a opção de requisitarem aos buscadores da internet a remoção de determinados conteúdos quando entenderem que os mesmos são imprecisos, irrelevantes, inadequados ou até mesmo excessivos para o próprio processamento de dados.

Em resumo os piratas da internet causam um grande prejuízo econômico para as empresas e social para as pessoas. E de certa forma os buscadores acabam sendo o principal divulgador e apoiador da pirataria já que indexam este conteúdo e ainda colocam o mesmo nos primeiros links dos resultados das buscas.

Já passou da hora dos buscadores passarem a utilizar um sistema melhor e inteligente para entregar ao usuário links para conteúdos de qualidade e relevância e de tirarem dos resultados da busca de forma definitiva todos os sites de conteúdo pirata.

Alexandre Peccin Fundador do portal Bella da Semana

Publicada em 13/07/2016 9:35

  • https://wellerstz.com/ Weller Santibanez

    Lembro que uma vez fui acessar um site pelo PC de um amigo, e nele tinha o Avast que instalou uma extensão que mostrava ao lado dos buscadores se o site era de qualidade e qual a qualidade do mesmo, talvez se tivesse isso por padrão nos buscadores, ajudassem.