Planos & Ideias

Storytelling: 5 dicas para o uso corporativo do Instagram

Publicada em 10/03/2014 7:35

O uso que as mais variadas empresas fazem do Instagram é quase igual: tirar (ou usar) algumas fotos semanais que fortaleçam, ao menos teoricamente, a imagem ditada pelos seus manuais de marca, integrar tudo ao Facebook e ponto final. São raros e louváveis os exemplos de quem faz algo diferente.

Fazendo uma comparação direta, é como criar um post no Facebook apenas citando, aleatoriamente, palavras-chave corporativas relevantes. O impacto prático que isso teria no usuário? Mínimo.


Talvez a marca consiga um punhado de seguidores pela qualidade das imagens; talvez gere alguns comentários úteis na integração da rede com o Facebook; talvez algum esforço de mídia consiga uma arrancada enganosa da rede em meio a seu mix social. Mas, em qualquer que seja a situação, essa estratégia tende ao fracasso certo por um simples motivo: a falta de enredo.

O Instagram não é uma rede de outro universo, que se guia por leis diferentes das que regem o relacionamento entre empresas, usuários e amigos. É apenas mais uma rede com o diferencial de ter o seu modelo unicamente focado em mídias visuais – principalmente fotos.

E o que está ocorrendo com todas as marcas, em todos os outros meios e em outras redes? Cases de sucesso se amontoam na medida em que elas passam a adotar uma estratégia de contar e compartilhar histórias. Na medida em que elas passam a narrar casos ao invés de “cuspir” cenas.

Vamos a exemplos práticos:

- Se você é uma empresa de bebidas, por que não usar o Instagram para narrar festas ou eventos, nos mais variados e curiosos detalhes, que estão ocorrendo sob a sua marca?
– Se é uma construtora, porque não narrar a construção de um empreendimento, incluindo uma mescla de histórias dos operários, dos planos, das expectativas dos primeiros compradores em receber as chaves?
– Se é um time de futebol, por que não narrar jogos inteiros a partir de imagens?
– Se é um veículo, por que não utilizar a rede de maneira ultra intensiva para contar todas as suas notícias mais importantes, empacotadas em “especiais visuais”?

Contar histórias interessantes pode não ser uma tarefa simples, mas é certamente facilitada quando se tem à disposição imagens quentes, filtros que profissionalizam qualquer foto e uma comunidade de seguidores interessados. No entanto, o formato de narrativa utilizado em tantas redes parece ser ignorado no Instagram por algum motivo qualquer – para o prejuízo tanto de empresas quanto de seus seguidores.

E, mesmo sem haver uma receita de bolo única, existe um conjunto de (pelo menos) cinco dicas importantes que, se seguidas, podem mudar decisivamente a presença de marcas no Instagram e nas suas comunidades de usuários como um todo. Vamos a elas:

1 – Histórias tem começo, meio e fim. Uma boa estratégia para o Instagram deve incluir uma somatória de casos, de enredos a serem explorados pelos fotógrafos (ou contadores de histórias visuais) da marca. Monte um cronograma de histórias relativamente curtas com base em ações da empresa e administre uma estratégia de campo.

2 – Histórias se desenrolam, fluem em seu próprio ritmo. Não se prenda a uma regra de volume de postagens diários: deixe o próprio enredo ditar o ritmo. Contar uma história por meio de fotos significa clicar todo o processo: lugares, pessoas, sorrisos, lágrimas, cenas. E, embora caiba às fotos a responsabilidade de contar a história de verdade, pequenos textos de apoio e hashtags ajudarão o usuário a entender o que estão vendo e a se posicionar cronologicamente no “conto”.

3 – Narrativas tem personalidade. Se você quer se engajar com o seu usuário, então é fundamental falar a mesma língua que ele – o que inclui, normalmente, uma informalidade natural, respostas ágeis e hashtags práticas que ajudem a contextualizá-lo.

4 – Fuja de bancos de imagens. Pessoas sorrindo em panos de fundo perfeitos podem funcionar em comerciais de margarina, mas não convencem ou engajam usuários em redes sociais. Não há como criar histórias originais sem usar imagens próprias, ideais justamente pelas suas imperfeições técnicas.

5 – Aproveite a integração social. Por pertencer ao Facebook, a integração do Instagram com a maior rede social do mundo – e a mais fácil de se somar hordas de fãs – é plena. Conecte uma com a outra sem medo de repetição de conteúdo. O que importa, afinal, é a história como um todo – não uma ou outra foto isolada. Usar o Facebook é o mesmo que aproveitar um excelente canal de distribuição.

A palavra-chave na construção de engajamento com usuários, dita e repetida incontáveis vezes aqui no SXSW, é narrativa.

E, se é mesmo verdade que uma imagem vale mais do que mil palavras, o Instagram pode ser a rede ideal para engajar os usuários em uma estratégia de storytelling simples, direta e, acima de tudo, absolutamente viciante.