Geeks ao Volante

Carros auto-dirigidos podem rodar nas estradas suecas já em 2017

Publicada em 03/12/2013 10:17


A Volvo iniciou um projeto-piloto que pretende ter 100 carros auto-dirigidos nas estradas públicas suecas ao redor da cidade de Gotemburgo, em 2017. O objetivo é identificar os benefícios sociais de condução autônoma e posicionar a Suécia e a Volvo Cars como líderes no desenvolvimento da mobilidade no futuro.

O projeto “Drive Me” é uma iniciativa conjunta entre o Volvo Car Group, a Administração dos Transportes e a Agência de Transportes da Suécia, o parque de ciência de Lindholmen e a cidade de Gotemburgo, segundo revelou a Volvo nesta segunda-feira, 2/12. Juntas, elas  vão fazer um esforço para eliminar os acidentes mortais na Suécia, disse Erik Coelingh, especialista e técnico da Volvo Car Group . Reconhecendo que a crescente urbanização continua a exercer pressão sobre os sistemas de transporte e em torno de áreas urbanas em todo o mundo , o “Drive Me” aborda a necessidade de unir forças na busca para desenvolver uma sociedade sustentável e mobilidade.

O início está previsto para 2014, com a pesquisa de clientes e o desenvolvimento da tecnologia, bem como o desenvolvimento de uma funcionalidade de interface de usuário e uso da nuvem.

Nos próximos anos, a Volvo vai desenvolver a sua Scalable Product Architecture (SPA) no modelo XC90. A meta é fazer com que os primeiros carros auto-dirigidos estejam disponíveis para 100 consumidores em 2017, disse Coelingh. Eles serão capazes de deixar os seus carros andar por cerca de 50  vias suburbanas típicas, que incluem condições de autoestrada e de engarrafamentos frequentes dentro de e nos arredores de Gotemburgo, a segunda maior cidade do país.

“Isso nos dará uma visão sobre os desafios tecnológicos e, ao mesmo tempo, valiosos feedback de clientes sobre a experiência real de condução em vias públicas”, afirma Håkan Samuelsson, presidente e CEO da Volvo Car Group.


A Volvo vai combinar componentes e software de outras empresas e juntá-los no seu próprio sistema, disse Coelingh, que acrescentou que a empresa desenvolve os seus próprios algoritmos para a direção, travamento e controle do motor.

O carro usa tecnologias de radar e câmera de vídeo para monitorar o ambiente em torno do veículo e também  um mapa das estradas por onde irá circular. Os últimos dados do mapa são enviados para o veículo através da cloud da Volvo, disse Coelingh, como pode ser visto no  vídeo publicado no site da Volvo.

“O nosso objetivo é que o carro seja capaz de lidar com todos os cenários possíveis de tráfego”, disse Coelingh. No entanto, por enquanto, os carros não serão capazes de fazer todo o percurso em 2017.  Circular junto de pedestres no centro da cidade é algo que o motorista ainda será obrigado a fazer, disse ele, acrescentando que os carros com auto-condução são mais úteis em situações monótonas de tráfego.

“A tecnologia de auto-condução usada no piloto permite que você entregue a condução do carro quando as circunstâncias  justificarem”, diz Håkan Samuelsson.

A Volvo já está testando a tecnologia, mas os pilotos de testes ainda têm de monitorar constantemente o veículo. Em 2017, no entanto, deve ser possível aos utilizadores lerem o jornal ou tomarem um café nalgumas estradas, antecipa Coelingh.