Geeks ao Volante

Interfaces de voz distraem os motoristas

Publicada em 12/06/2013 16:34


Quando falam ou enviam mensagens de texto, os motoristas demoram mais tempo para frear – mesmo que não estejam usando teclados (de tablets ou celulares), revelaram pesquisadores da Universidade do Utah.

Eles analisaram o tempo de reação de motoristas ao realizarem sete tarefas diferentes em três situações: no laboratório, em um simulador de condução e em um veículo em movimento. Além disso, neste último caso, avaliaram a atenção dos motoristas para perigos em cruzamentos.

Falar ao telefone, mesmo no sistema de viva voz, é mais perturbador do que apenas ouvir rádio enquanto se está dirigindo, dizem. Mas o mais perturbador de tudo, porém, é responder a mensagens usando uma interface controlada por voz.

“Comparada com outras atividades estudadas, descobrimos que a interação com o sistema de voz para texto foi o mais cognitivamente perturbador”, escreveram os pesquisadores. “Isto sugere claramente que a adoção de sistemas baseados em voz nos veículos pode ter consequências não intencionais que afetam de modo adverso a segurança rodoviária”.

O estudo, intitulado “Measuring Cognitive Distraction in the Automobile“, foi patrocinado pela Foundation for Traffic Safety, da American Automobile Association (AAA), e publicado esta quarta-feira. A AAA tem batalhado pela proibição geral de gerir mensagens de texto enquanto se conduz, e desencoraja os condutores de falar ao telefone, mesmo no viva voz.

No simulador de condução, os motoristas levaram visivelmente mais tempo para acertar o freio ao responder a mensagens através de uma interface de controle de voz, segundo o estudo. Falar, seja por telefone ou para um passageiro, também atrasou a freagem, embora não tanto.

Um objetivo do estudo foi o de criar uma escala padrão para medir a distração cognitiva, de modo que o efeito de diversas atividades em diferentes ambientes possa ser mais facilmente comparado.

(*) Peter Sayer, IDG News Service