Circuito Deluca

Black Friday: tudo o que você precisa saber

Publicada em 27/11/2014 9:12

Amanhã, dia 28/11, o  Brasil vive sua quinta edição da Black Friday. A expectativa é a de que o evento estabeleça um novo recorde no e-commerce nacional.

De acordo com estimativas da E-bit,  o valor movimentado na data deve chegar a R$ 1,2 bilhão, um crescimento de 56% em relação à edição de 2013, quando a Black Friday movimentou R$ 770 milhões – até aqui a maior quantia já transacionada no comércio eletrônico brasileiro em apenas um dia.

A previsão da consultoria Conversion é ainda mais otimista:  movimentação de cerca de R$ 1,54 bilhão. Segundo a empresa, as lojas virtuais devem registrar cerca de 5,2 milhões de pedidos durante as 24 horas do evento – aproximadamente 61 encomendas por segundo. O volume de transações deve representar 4% de todas as compras do ano (133 milhões).

Tanto otimismo tem motivo.  A Black Friday já e tornou a grande oportunidade do consumidor antecipar as compras de Natal, aproveitando os descontos. “Isso beneficia clientes e empresas, afinal lojistas têm a chance de programar o estoque com antecedência e entregar o produto com tranquilidade, com um prazo maior para o Natal”, afirma Pedro Eugênio, idealizador do evento.

A “Pesquisa Natal 2014 – Revelação sobre o hábito de consumo dos brasileiros”, da Deloitte, por sua vez, aponta que parte significativa dos consumidores pretende antecipar as compras para novembro (43%) – o maior índice já indicado para este mês, na série histórica de cinco anos do estudo. Nos quatro anos anteriores os índices dos que iniciavam as compras em novembro eram de 26% (2013), 24% (2012), 30% (2011) e 32% (2010).

“As pessoas estão em busca de grandes oportunidades na Black Friday e já estão planejando as compras – inclusive porque 28 de novembro  coincide com a época em que recebem a primeira parcela do 13º salário”, relata Pedro Eugênio, fundador do Busca Descontos (responsável pelo site www.BlackFriday.com.br).

De acordo com recente pesquisa promovida pelo próprio Busca Descontos e que ouviu 20.841 pessoas, 96% dos e-consumidores pretendem fazer compras na data.

Ticket médio
Durante o painel Turbinando o Black Friday Legal, realizado no dia 5 de novembro, Alexandre Crivellaro, diretor executivo do IBOPE e-Commerce – unidade de negócios do IBOPE focada na medição do comércio eletrônico -, divulgou um balanço exclusivo dos primeiros nove meses de 2014. De acordo com o levantamento, o ticket médio do período nas lojas virtuais nacionais foi de R$ 334, valor idêntico ao registrado durante todo o ano de 2013. No entanto, a tendência é que o Black Friday 2014 amplie este número. Em 2013, o ticket médio do dia de promoções no varejo virtual ficou em R$ 437, de acordo com a ClearSale.

Quais são os produtos mais desejados?
O comportamento dos consumidores na Internet no último mês,  monitorado através da ferramenta  Scup,  aponta que a maioria dos consumidores já sabe os itens que pretende comprar na Black Friday. A  Scup e a Vert coletaram 40 mil posts públicos nas redes sociais, de de 22 de outubro a 18 de novembro, contendo a expressão “Black Friday” ou outras relacionadas à intenção ou ao desejo de comprar produtos.

Das menções relacionadas às intenções de compra (6365, no total), 42% diziam que os consumidores preferem aguardar o dia de descontos para realizar algumas compras, principalmente quando os produtos são livros e celulares.

esperar
Sobre a intenção e desejo de compra, 23% dos consumidores expressaram que vão comprar algum produto específico. Surpreendentemente, os livros são os produtos mais procurados juntamente aos celulares, representando respectivamente 23% e 9% das menções de expectativa em relação ao evento.

desejocompra

Além das declarações espontâneas dos consumidores, o monitoramento encontrou ainda menções a algumas pesquisas relevantes sobre intenção de compra, realizadas pelo Mercado Livre, Zoom, Ebit, Opinion Box e a própria Busca Descontos.

Em todas as pesquisas as categorias Eletrodomésticos, Eletrônicos, Moda/Acessórios e Telefonia foram as apontadas como as mais citadas pelos consumidores em relação às suas intenções de compra na Black Friday.

“Os eletrônicos são sempre os produtos mais desejados e também os que requerem mais atenção na hora da compra, pois são produtos de valor mais alto e com muitas funcionalidades e tecnologias novas”, comenta Paulo Guedes, especialista de produtos do site comparador de preços e produtos Zoom.

A intenção de 56% dos 10 mil entrevistados em pesquisa realizada pelo Zoom é aproveitar o evento para investir em um novo smartphone, 43% em uma televisão, 29% em um notebook, 23% em tênis, 21% em tablets, 20% em videogames e 18% em condicionadores de ar.

Ofertas antecipadas e estendidas
Muitos lojistas aproveitaram a pré Black Friday para criar campanhas que geram  leads para seus sites através de descontos e vendas antecipadas.  Destaca-se nessa categoria o setor de moda, devido a sites como a Daifiti e Netshoes.

lojas
Mas atenção: golpistas estão se aproveitando da expectativa para a Black Friday para promover falsas promoções  nas redes sociais. No Instagram, falsos perfis da Saraiva, Fnac, Renner e Marisa estão promovendo supostos descontos ou sorteios de prêmios para quem postar as telas com os anúncios dessas ofertas que não existem. Cetifique-se da promoção no próprio site dessas empresas.

Já a Pernambucanas Também estenderá as ofertas para  além da tradicional sexta-feira de descontos. Durante outros três dias, suas 307 lojas no país estarão promovendo condições especiais de pagamento. Hoje, por exemplo, todas as lojas Pernambucanas parcelarão eletroeletrônicos, artigos de vestuário, itens de cama, mesa e banho, além de cortinas, tapetes e utilidades para a casa e para toda a família em até 10x sem juros, com primeiro pagamento somente em janeiro. Já no sábado e domingo, 29 e 30 de novembro, quem ficou na dúvida, ainda poderá desfrutar dessa possibilidade de parcelamento e do pagamento somente no ano que vem em qualquer artigo da loja.

Como não cair em roubadas
Em 2013, segundo o site “Reclame Aqui”, das 8,5 mil reclamações recebidas pelo portal durante a Black Friday, 27% foram sobre maquiagem de preços.

Este ano, a sensação é a de que os consumidores brasileiros estão mais conscientes. A galera está mais atenta às oscilações dos preços e vem monitorando os valores dos produtos que pretendem comprar nas lojas virtuais. Em geral, os consumidores ouvidos nas inúmeras pesquisas já realizadas sobre o evento, demonstram não serem fiéis às lojas. Querem boas ofertas!

Além disso, ações para evitar maquiagem de preços e fraudes realizadas pela Camara-e.net, em parceria com o Busca Descontos, como a criação do selo Black Friday Legal, parecem ter começado a surtir efeito. O termo Black Fraude, muito utilizado em 2013, perdeu força neste período pré Black Friday 2014, de acordo com a Scup.  Apareceu poucas vezes nas menções dos consumidores.

Como em 2013, este ano recebem o selo as lojas virtuais que assinam o Código de Ética da data e se comprometem com as melhores promoções ao consumidor.  Mais de  500 lojas participantes da Black Friday se inscreveram para receber o selo Black Friday Legal. A lista completa de lojas que recebem o selo este ano está disponível em http://blackfriday.com.br/legal. Já o código de ética pode ser lido em http://www.camara-e.net/blackfriday/codigo.html.

Ainda assim, convém o consumidor ficar atento para não cair em falsos descontos e serem atraídos por propaganda enganosa. E contará com ajuda extra nesse sentido.

O Zoom, por exemplo, validará as promoções reais por meio do selo Black Friday, já que as ofertas serão monitoradas em tempo real e comparadas com os preços praticados anteriormente. Outra vantagem é que os usuários podem sempre comprar em qualquer loja parceira que apresentar a melhor oportunidade de compra, pois para ser credenciada ao site, o varejista passou por um rigoroso crivo para provar que sua loja é realmente uma loja confiável. Se ainda assim ocorrer algum imprevisto, os consumidores poderão contar com o serviço Zoom Garante, que assegura aos clientes o recebimento do produto comprado ou o seu dinheiro de volta.

A Cupom.com também vai indicar as 30 melhores ofertas em seu site http://www.realblackfriday.com.br. “A nossa intenção é separar o joio do trigo nas promoções e proporcionar ao nosso consumidor satisfação nas compras. Para isso, nosso filtro humano será imprescindível para separar as ofertas que realmente valem a pena”, destaca Madsen Lima, chefe de Comunicações da Panna Cotta Voucher Group. Acesse o site hoje e escolha os seus produtos de interesse. No dia do evento você receberá um link com as melhores ofertas para os seus desejos de consumo.

O  sistema NetBase, da Polis Consulting, por sua vez,  promete apresentar em tempo real  a opinião dos internautas sobre, por exemplo, onde estão as melhores (e as piores) promoções, como está o atendimento das principais lojas e quais são os produtos mais procurados.

O buzz Black Friday já pode ser conferido online emhttp://brandblackfriday.polisconsulting.com.br.

Também para auxiliar os usuários antes, durante e pós compras na Black Friday, a central de atendimento para celular PossoAjudar? vai monitorar as redes sociais  durante 24 horas. Todos que utilizarem a hashtag #HelpFriday nas redes sociais participarão de um plantão colaborativo com a intenção de reduzir os altos índices de reclamações que marcaram 2013. O app, disponível para iOS e Android, oferecerá ainda assessoria, orientando e recomendando as melhores opções.

app-posso-ajudar1 (1)

E o que são boas ofertas?
Em 2013, a empresa especializada em inteligência de preços e sortimento Sieve Price Intelligence monitorou todos os lojistas participantes do www.BlackFriday.com.br durante três meses e identificou um desconto médio real de 25%. Os produtos de papelaria foram os que tiveram os melhores descontos, com uma média de 31%. Em seguida vieram brinquedos (30%) e moda e acessórios (27%).

“Há um amadurecimento dos lojistas em relação ao Black Friday”, afirma Jefferson Costa, gerente de Inteligência Competitiva da Sieve. “A tendência é que os e-commerces separem tipos de produtos e até segmentos inteiros para conceder descontos este ano, além de serem mais claros sobre o que está ou não mais barato, visualmente falando. Isso fará com que o consumidor perceba de forma mais fácil os valores menores”.

Em 2013, o desconto máximo registrado foi na categoria moda e beleza, com 80%. “Porém, é importante ressaltar que, para fins estatísticos, o registro desse desconto pode ter sido atingido em apenas um produto. Não é algo que reflete a realidade como um todo”, conclui Costa.

“A nossa política de desconto para a Black Friday busca atender as expectativas e oferecer diversos níveis de descontos, podendo chegar a, em alguns casos, até 70% na loja online”,afirma Ronaldo Loos, diretor Comercial da Cia. Herin.

Portanto, pesquise! O mesmo produto pode ter diferentes descontos em diferentes lojistas.

Como garantir as boas ofertas?
O Busca Descontos, principal incentivador da data no Brasil, elaborou quatro dicas para ajudar o consumidor a ficar atento sobre suas compras.

1 – Fique atento no limite do seu cartão de crédito e sua situação para outras formas de pagamento, como via PayPal, MoIP ou PagSeguro. Além disso, avise sua operadora de cartões que poderá ocorrer mais de uma compra no seu cartão naquele dia.

2 – Tendo certeza de que se trata de uma boa oferta, compre imediatamente! Evite colocar tudo no carrinho e esperar para efetuar o pagamento. Pode ocorrer o risco de perder o produto antes do pagamento, devido ao grande número de acessos.

3 – Leia com atenção as condições de pagamento das lojas participantes e aproveite lojas que ofereçam compras via boleto, os descontos podem chegar a até 10%.

4 – Prepare-se para receber as compras com maior prazo de espera do que o normal, devido à demanda.

Mas faltou o Busca Descontos dizer:

1 – Olhe sempre se há estoque dos produtos ofertados!

2  –  O consumidor deve estar atento ao prazo informado e imprimir o pedido.  Se a entrega não for feita dentro de um período de tempo razoável, reacordado com o varejista, o consumidor pode denunciar nos órgãos de defesa do consumidor.

Cuidado com as especificações dos produtos
“Os consumidores ficam tão preocupados em checar a relevância dos descontos durante o evento que muitas vezes se esquecem do mais importante: avaliar suas necessidades para escolher o produto desejado”, afirma Paulo Guedes, do Zoom.

“Quem procura um notebook, por exemplo, precisa responder a uma série de perguntas sobre a utilidade que terá o dispositivo para encontrar o modelo ideal. Se a pessoa busca um dispositivo para trabalhar, é melhor optar por um modelo que tenha um processador mais ágil. Já quem pretende usá-lo para jogar, vale investir em um com uma placa de vídeo mais potente e com mais memória RAM”.

Conheça os seus direitos
A Fundação Procon-SP alerta que os consumidores também devem estar atentos aos seus direitos. E elenca alguns deles.

1 – ­O preço promocional não anula seus direitos. A oferta deve ser cumprida de acordo com a divulgação.

2 – As informações sobre preço, frete e prazo de entrega devem estar em destaque.

3 – ­Se a página estiver instável ou se o preço variar durante a compra, salve as informações e registre sua reclamação na empresa. Você tem direito ao cumprimento da oferta, se for comprovado.

4 – No Estado de São Paulo, o consumidor pode escolher o período (manhã ou tarde) para a entrega do produto, sem pagamento adicional. Verifique as opções disponibilizadas pela empresa.

5 – Se o prazo de entrega não for cumprido ou se o produto estiver danificado, você pode cancelar a compra ou trocar a mercadoria. Examine sua compra assim que ela for entregue.

6 – No caso de compras por telefone ou por internet, você tem até sete dias para cancelar, isento de qualquer cobrança, incluindo frete. A empresa deve informar a administradora do cartão para o devido estorno do valor pago.

7 – O fornecedor deve encaminhar a confirmação do pedido.

8 – Acompanhe todas as etapas e prazos de entrega do seu pedido. Qualquer irregularidade deve ser informada pela empresa.

9 – Você pode reclamar pelos próprios sites nos quais efetuou compras. As empresas devem responder e resolver as reclamações em até cinco dias.

10 – Salve ou imprima tudo que comprove a compra: oferta, pedido, comprovante de pagamento, contrato e anúncios publicitários.

E evite esses sites!
A Fundação Procon-SP também reviu a lista de sites que o consumidor deve evitar. Confira aqui!

Por fim, cuide da segurança
Para ajudar os consumidores a terem mais segurança nas transações online durante a Black Friday, os especialistas da ESET elaboraram um guia com sete dicas para compras seguras na internet:

1.  Mantenha o computador ou dispositivo móvel protegido – antes de iniciar qualquer compra online, o usuário deve assegurar que o equipamento usado – seja ele um computador, tablet ou smartphone – esteja devidamente protegido. Para isso, precisa estar com o sistema operacional e as aplicações devidamente atualizadas, bem como deve ter uma solução de segurança da informação proativa instalada para evitar malwares (códigos maliciosos) e outras ameaças virtuais.

2.  Opte por sites com boa reputação – é importante realizar transações em sites conhecidos e com boa reputação, para evitar que cibercriminosos tenham acesso a seus dados bancários e informações pessoais.

3.  Fique atento a prêmios e promoções muito tentadoras – muitas vezes, para chamar a atenção das vítimas, os cibercriminosos criam falsas promoções que prometem prêmios extraordinários. Antes de clicar nesse tipo de link ou colocar algum dado pessoal ou bancário, é importante que o internauta avalie se a promoção é real, uma vez em que não faz sentido ganhar milhões de dólares para responder a uma pergunta ou algo do gênero.

 4.  Verifique a segurança do ecommerce – é muito importante verificar se o endereço do site no qual está fazendo as compras apresenta características ideais de segurança, como o uso do protocolo HTTPS – o qual pode ser verificado na barra do navegador – e pelo uso de certificados.

 5.  Use redes WiFi seguras – utilizar redes WiFi públicas pode representar um risco se elas estão vulneráveis e permitem que cibercriminosos interceptem o tráfego de informações e roubem os dados. O mais recomendável é realizar as transações de compra online somente usando conexões seguras.

 6.  Divulgue apenas informações essenciais – é muito comum encontrar golpes nos quais os cibercriminosos criam sites falsos no qual solicitam uma série de informações pessoais dos internautas. Assim, deve-se ficar atento a que tipo de dado está sendo solicitado no momento da compra e se ele é realmente necessário.

 7.  Mantenha todos os equipamentos com senha – a informação armazenada em dispositivos móveis (smartphones e tablets) e notebooks tende a ser muito valiosa. Por isso, recomenda-se sempre protegê-lo com uma senha forte – com letras, números e símbolos – para evitar que no caso de perda, furto ou roubo do equipamento pessoas não autorizadas tenham acesso a esses dados.

  • Leandro Lacerda

    Gosto de acompanhar as ofertas pela Econovia, o comparador mostra apenas marcas e lojas conhecidas e tem gráfico com histórico diário dos preços. Dizem que na sexta vão atualizar os preços a cada 10 minutos.